Novas receitas

Revisão da cerveja: Yards Saison

Revisão da cerveja: Yards Saison

A cerveja Philly's Yards é ligeiramente doce, mas ainda assim refrescante

Depois de se aventurar além das cervejas, o mundo da cerveja se abre não apenas para novas criações malucas dos cervejeiros mais quentes de hoje, mas também para tipos de cerveja produzidos por séculos em todo o mundo. O saison belga foi originalmente feito por fazendeiros da Valônia séculos atrás, durante a temporada de verão, com leveduras que fermentam bem em temperaturas quentes (não havia refrigeração). Normalmente leve no corpo e no álcool, o saison assumiu muitos tamanhos e tons diferentes desde o início de seu trabalho. Yards Brewing Company da Filadélfia criou uma versão doce-cítrica de 6,5% ABV dessa cerveja tradicional rústica.

Vertido de uma garrafa de 12 onças em um copo de tulipa, Yards Saison parece laranja-dourado com uma atraente cabeça branca. O nariz apresenta uma explosão de aromas picantes cheios de frutas cítricas equilibrada por um perfil de levedura tradicional belga. Conforme você saboreia a cerveja, esses temperos aumentam e colaboram com notas de cravo e casca de laranja. O uso de açúcar doce belga - provavelmente usado para manter os sabores do malte da cerveja sob controle enquanto produz um produto com teor relativamente alto de álcool - torna o sabor mais doce do que você poderia esperar de um saison, mas adiciona um toque interessante, e ainda deixa você com uma bebida satisfatória.

Yards Saison ganha seu lugar na lista da cervejaria de 12 anos, apresentando uma mudança de ritmo bem-vinda de algumas das ofertas com predominância de malte ou lúpulo. Os fãs da Yards fariam bem em procurar esta cerveja durante os meses quentes de verão.

- Danya Henninger, The Drink Nation

Mais do Drink Nation:

Auchentoshan: Scotch triplamente destilado com sabores variados

Guia do Insider para Nova Orleans: Uma Master Class em Álcool-Turismo

Nova bebida para o verão: sangria tcheca


Como preparar sua própria cerveja Fresh-Hop ou Wet-Hop nesta colheita

Todos os anos há uma janela, algumas semanas, quando nossos feeds do Instagram ficam cheios de verde - imagens de cervejeiros esfregando lúpulo entre as mãos, de produtores de lúpulo puxando seus grãos cobertos por milhares de cones delicados, de todas as coisas com lúpulo, folhas, e fresco. E apenas algumas semanas depois, há outra janela mais mágica: a curta temporada da cerveja recém-lupulada.

Cervejas frescas são um flash no calendário da cerveja sazonal, parte de um breve período em que "suculência" e "maracujá fresco" são deixados para trás por notas sutis de gramíneas que só vêm do lúpulo adicionado à chaleira ou ao redemoinho em horas de ser colhido. Essas cervejas são frutos de um breve mas intenso trabalho de colheita do lúpulo entre meados de agosto e o final de setembro ou início de outubro. Como tal, o tempo para lançamentos de cerveja fresh-hop e wet-hop é passageiro - elas geralmente ficam no mercado por cerca de três semanas antes de passarem mais um ano.

Claro, isso é parte do que os torna extremamente atraentes. Se você mora longe de regiões de cultivo de lúpulo, como o noroeste do Pacífico, no entanto, pode não conseguir provar uma cerveja com lúpulo molhado (usando lúpulo nunca seco direto da colheita) durante toda a temporada - a menos, é claro, que você mesmo prepare uma cerveja .

Todo amante de cerveja precisa deste pôster de aroma de lúpulo

Fabricação caseira com lúpulo fresco

Um dos enigmas mais óbvios ao fazer cerveja caseira com lúpulo fresco é que não há como saber a composição química dos óleos dentro dos cones, mais importante ainda, a quantidade de alfa ácidos que serão isomerizados na fervura determinando o nível de amargor (medido como IBUs) na cerveja acabada.

Para os cervejeiros caseiros que cultivam seu próprio lúpulo, isso pode não importar muito, “já que na maioria dos casos, toda a colheita será adicionada”, diz Daniel van Dijk, dono de um bar em Louisville, Ky., Que fabrica cerveja caseira há 12 anos.

Com isso em mente, parte da fabricação de cerveja com lúpulo fresco torna-se um exercício de desenvolvimento de receitas. Em vez de escrever uma receita com o sabor e o equilíbrio da cerveja acabada em mente, fabricar cerveja com lúpulo fresco é mais uma experiência para responder à pergunta: "Qual será o sabor disso?"

Essa resposta dependerá parcialmente de quão frescos estão os lúpulos quando são adicionados ao mosto durante a fermentação ou à cerveja durante a fermentação.

Rusty Burrell, um engenheiro de software que fabrica cerveja em casa há mais de oito anos - e faz homebrew com seu próprio lúpulo por cinco desses anos - complementa seu lúpulo com pellets de lúpulo. “Eu tendo a usar pellets de lúpulo regulares para amargor e uso os lúpulos caseiros para adições de aroma, sabor e fervura tardia”, diz Burrell.

Os fabricantes de cerveja que cultivam lúpulo há mais de 10 anos e têm safras mais prósperas podem usar o lúpulo em todos os estágios do processo de fermentação. Esta é uma técnica que Annie Johnson, cervejaria caseira do ano de 2013 e cervejaria caseira de 20 anos, usa em suas cervejas recém-lupuladas. Ela não apenas colhe cones frescos para usar no dia da fermentação, mas também “fecha rapidamente alguns com vácuo”, diz ela, e os guarda para lúpulo seco.

Você pode dry-hop com lúpulo fresco?

“Muitas pessoas dizem, 'isso é um não-não, você obterá contaminação, você obterá oxidação', mas eu não descobri nada”, diz Johnson, que também é mestre cervejeiro residente em eletrodomésticos de fabricação de cerveja empresa PicoBrew. Johnson acredita que o lúpulo fresco funciona bem como uma adição de dry hopping porque, uma vez que a cerveja é fermentada, "eu tenho uma cerveja pronta com álcool, então é um pouco mais resistente [à infecção]", diz ela. “Além disso, há uma boa camada de CO2 no garrafão [fermentador].”

Para dry-hop com lúpulo fresco, Johnson embala o lúpulo fresco no gargalo de seu garrafão, dá algumas voltas e deixa o lúpulo infundir por alguns dias. O resultado é um sabor melhor e mais forte, diz ela.

Como regra geral, os cervejeiros detectarão a diferença mais perceptível no sabor ao fabricar cerveja com lúpulo colhido direto da bitola. Para fazer isso, no entanto, eles também precisarão de muito mais deles. Burrell acrescenta: “Esteja ciente de que, como os lúpulos não estão secos, você vai querer usar quatro a seis vezes a quantidade que normalmente usaria para pellets de lúpulo secos comprados em lojas”.

Toda essa matéria extra vegetal tem outra consequência: a perda do mosto. “Se você fizesse um lote normal de cinco galões”, diz Johnson, “você acabaria com três galões”. Em sua experiência, pode haver cinco ou seis polegadas de matéria de lúpulo no fundo da chaleira no final do dia de fermentação, acrescenta ela. Ela recomenda planejar a absorção começando a fermentar um lote de pelo menos sete galões e meio para terminar com o rendimento de uma receita típica de cinco galões.

Por que lúpulo fresco vale a pena esperar

Meses de trabalho, colheitas de horas de duração, protegendo seus braços de bines brutais - tudo por um, talvez dois lotes de cerveja. Então, por que esses cervejeiros caseiros fazem isso?

O lúpulo recém-crescido dá às cervejas Johnson um sabor único que ela não consegue de outra forma. “Você prova o lúpulo e sua forma seca, é uma espécie de [sabor] de banana - banana fresca versus banana com lascas ou uma banana verde. Uma banana é meio brilhante, mas não totalmente certa ”, diz ela.

Para Van Dijk, a experiência mais gratificante com seu lúpulo caseiro foi colaborar com uma cervejaria local em uma saison. “Eu adoro a ideia de colaboração porque minha casa está localizada a menos de um quilômetro da cervejaria & # 8230 e eu & # 8217m não tenho certeza se há muitas cervejarias que podem dizer que fabricam cerveja no centro [em Louisville] e têm uma cerveja feita com lúpulo cultivado em milha de distância."

Burrell progrediu em seu cultivo de lúpulo ao longo dos anos, passando de vasos em uma varanda em Washington, D.C., para o cultivo no solo de seu quintal na Virgínia, com uma configuração cada vez melhor. Ele diz que “é muito fácil de fazer e um projeto divertido”. Todos os anos, ele prepara uma cerveja para destacar o sabor de seu lúpulo, e alguns de seus favoritos são estilos de outono para destacar o aspecto de “colheita anual” do ingrediente. “Todos os meus ficaram ótimos”, diz ele.

Próxima etapa: cultive seu próprio lúpulo fresco

Lúpulo fresco é muito difícil de obter, mesmo as melhores lojas de cerveja artesanal não têm acesso a eles. Portanto, a menos que você tenha lúpulo no jardim ou conheça alguém disposto a compartilhar sua preciosa colheita, é tarde demais para preparar uma cerveja recém-lupulada este ano. A boa notícia é que nunca é tarde para começar a planejar seu próprio experimento de cultivo de lúpulo para a próxima colheita. Fique ligado em tudo o que você precisa saber para se preparar, plantar e colher seu próprio lúpulo, a seguir em BIY.


Como preparar sua própria cerveja Fresh-Hop ou Wet-Hop nesta colheita

Todos os anos há uma janela, algumas semanas, quando nossos feeds do Instagram ficam cheios de verde - imagens de cervejeiros esfregando lúpulo entre as mãos, de produtores de lúpulo puxando seus grãos cobertos por milhares de cones delicados, de todas as coisas com lúpulo, folhas, e fresco. E apenas algumas semanas depois, há outra janela mais mágica: a curta temporada da cerveja recém-lupulada.

Cervejas frescas são um flash no calendário da cerveja sazonal, parte de um breve período em que "suculência" e "maracujá fresco" são deixados para trás por notas sutis de gramíneas que só vêm do lúpulo adicionado à chaleira ou ao redemoinho em horas de ser colhido. Essas cervejas são frutos de um breve mas intenso trabalho de colheita do lúpulo entre meados de agosto e o final de setembro ou início de outubro. Como tal, o tempo para lançamentos de cerveja fresh-hop e wet-hop é passageiro - elas geralmente ficam no mercado por cerca de três semanas antes de passarem mais um ano.

Claro, isso é parte do que os torna extremamente atraentes. Se você mora longe de regiões de cultivo de lúpulo, como o noroeste do Pacífico, no entanto, pode não conseguir provar uma cerveja com lúpulo molhado (usando lúpulo nunca seco direto da colheita) durante toda a temporada - a menos, é claro, que você mesmo prepare uma cerveja .

Todo amante de cerveja precisa deste pôster de aroma de lúpulo

Fabricação caseira com lúpulo fresco

Um dos enigmas mais óbvios ao fazer cerveja caseira com lúpulo fresco é que não há como saber a composição química dos óleos dentro dos cones, mais importante ainda, a quantidade de alfa ácidos que serão isomerizados na fervura determinando o nível de amargor (medido como IBUs) na cerveja acabada.

Para os cervejeiros caseiros que cultivam seu próprio lúpulo, isso pode não importar muito, “já que na maioria dos casos, toda a colheita será adicionada”, diz Daniel van Dijk, dono de um bar em Louisville, Ky., Que fabrica cerveja caseira há 12 anos.

Com isso em mente, parte da fabricação de cerveja com lúpulo fresco torna-se um exercício de desenvolvimento de receitas. Em vez de escrever uma receita com o sabor e o equilíbrio da cerveja acabada em mente, fabricar cerveja com lúpulo fresco é mais uma experiência para responder à pergunta: "Qual será o sabor disso?"

Essa resposta dependerá parcialmente de quão frescos estão os lúpulos quando são adicionados ao mosto durante a fermentação ou à cerveja durante a fermentação.

Rusty Burrell, um engenheiro de software que fabrica cerveja caseira há mais de oito anos - e faz homebrewing com seu próprio lúpulo por cinco desses anos - complementa seu lúpulo com pellets de lúpulo. “Eu tendo a usar pellets de lúpulo regulares para amargor e uso os lúpulos caseiros para adições de aroma, sabor e fervura tardia”, diz Burrell.

Os fabricantes de cerveja que cultivam lúpulo há mais de 10 anos e têm safras mais prósperas podem usar o lúpulo em todos os estágios do processo de fermentação. Esta é uma técnica que Annie Johnson, cervejaria caseira do ano de 2013 e cervejaria caseira de 20 anos, usa em suas cervejas recém-lupuladas. Ela não apenas colhe cones frescos para usar no dia da fermentação, mas também “fecha rapidamente alguns com vácuo”, diz ela, e os guarda para lúpulo seco.

Você pode dry-hop com lúpulo fresco?

“Muitas pessoas dizem, 'isso é um não-não, você obterá contaminação, você obterá oxidação', mas eu não descobri nada”, diz Johnson, que também é mestre cervejeiro residente em eletrodomésticos de fabricação de cerveja empresa PicoBrew. Johnson acredita que lúpulo fresco funciona bem como uma adição de dry hopping porque, uma vez que a cerveja é fermentada, “eu tenho uma cerveja pronta com álcool, então é um pouco mais resistente [à infecção]”, diz ela. “Além disso, há uma boa camada de CO2 no garrafão [fermentador].”

Para dry-hop com lúpulo fresco, Johnson embala o lúpulo fresco no gargalo de seu garrafão, dá algumas voltas e deixa o lúpulo infundir por alguns dias. O resultado é um sabor melhor e mais forte, diz ela.

Como regra geral, os cervejeiros detectarão a diferença mais perceptível no sabor ao fabricar cerveja com lúpulo colhido direto da bitola. Para fazer isso, no entanto, eles também precisarão de muito mais deles. Burrell acrescenta: “Esteja ciente de que, como os lúpulos não estão secos, você vai querer usar quatro a seis vezes a quantidade que normalmente usaria para pellets de lúpulo secos comprados em lojas”.

Toda essa matéria extra vegetal tem outra consequência: a perda do mosto. “Se você fizesse um lote normal de cinco galões”, diz Johnson, “você acabaria com três galões”. Em sua experiência, pode haver cinco ou seis polegadas de matéria de lúpulo no fundo da chaleira no final do dia de fermentação, acrescenta ela. Ela recomenda planejar a absorção, começando a preparar um lote de pelo menos sete galões e meio para terminar com o rendimento de uma receita típica de cinco galões.

Por que lúpulo fresco vale a pena esperar

Meses de trabalho, colheitas de horas de duração, protegendo seus braços de bines brutais - tudo por um, talvez dois lotes de cerveja. Então, por que esses cervejeiros caseiros fazem isso?

O lúpulo recém-crescido dá às cervejas Johnson um sabor único que ela não consegue de outra forma. “Você prova o lúpulo e sua forma seca, é uma espécie de [sabor] de banana - banana fresca versus banana com lascas ou uma banana verde. Uma banana é meio brilhante, mas não totalmente certa ”, diz ela.

Para Van Dijk, a experiência mais gratificante com seu lúpulo caseiro foi colaborar com uma cervejaria local em uma saison. “Eu adoro a ideia de colaboração porque minha casa está localizada a menos de um quilômetro da cervejaria & # 8230 e eu & # 8217m não tenho certeza se há muitas cervejarias que podem dizer que fabricam cerveja no centro [em Louisville] e têm uma cerveja feita com lúpulo cultivado em milha de distância."

Burrell progrediu em seu cultivo de lúpulo ao longo dos anos, passando de vasos em uma varanda em Washington, D.C., para o cultivo no solo de seu quintal na Virgínia, com uma configuração cada vez melhor. Ele diz que “é muito fácil de fazer e um projeto divertido”. Todos os anos, ele prepara uma cerveja para destacar o sabor de seu lúpulo, e alguns de seus favoritos são estilos de outono para destacar o aspecto de “colheita anual” do ingrediente. “Todos os meus ficaram ótimos”, diz ele.

Próxima etapa: cultive seu próprio lúpulo fresco

Lúpulo fresco é muito difícil de obter, mesmo as melhores lojas de cerveja artesanal não têm acesso a eles. Portanto, a menos que você tenha lúpulo no jardim ou conheça alguém disposto a compartilhar sua preciosa colheita, é tarde demais para preparar uma cerveja recém-lupulada este ano. A boa notícia é que nunca é tarde para começar a planejar seu próprio experimento de cultivo de lúpulo para a próxima colheita. Fique ligado em tudo o que você precisa saber para se preparar, plantar e colher seu próprio lúpulo, a seguir em BIY.


Como preparar sua própria cerveja Fresh-Hop ou Wet-Hop nesta colheita

Todos os anos há uma janela, algumas semanas, quando nossos feeds do Instagram ficam cheios de verde - imagens de cervejeiros esfregando lúpulo entre as mãos, de produtores de lúpulo puxando seus grãos cobertos por milhares de cones delicados, de todas as coisas com lúpulo, folhas, e fresco. E apenas algumas semanas depois, há outra janela mais mágica: a curta temporada da cerveja recém-lupulada.

Cervejas recém-lupuladas são um flash no calendário sazonal de cerveja, parte de um breve período em que "suculência" e "maracujá fresco" são deixados para trás por notas sutis de gramíneas que só vêm do lúpulo adicionado à chaleira ou ao redemoinho em horas de ser colhido. Essas cervejas são frutos de um breve mas intenso trabalho de colheita do lúpulo entre meados de agosto e o final de setembro ou início de outubro. Como tal, o tempo para os lançamentos de cerveja fresh-hop e wet-hop é passageiro - elas geralmente ficam no mercado por cerca de três semanas antes de passarem mais um ano.

Claro, isso é parte do que os torna extremamente atraentes. Se você mora longe de regiões produtoras de lúpulo, como o noroeste do Pacífico, no entanto, pode não conseguir provar uma cerveja com lúpulo molhado (usando lúpulo nunca seco direto da colheita) durante toda a temporada - a menos, é claro, que você mesmo prepare .

Todo amante de cerveja precisa deste pôster de aroma de lúpulo

Fabricação caseira com lúpulo fresco

Um dos enigmas mais óbvios ao fazer cerveja caseira com lúpulo fresco é que não há como saber a composição química dos óleos dentro dos cones, mais importante ainda, a quantidade de alfa ácidos que serão isomerizados na fervura determinando o nível de amargor (medido como IBUs) na cerveja acabada.

Para os cervejeiros caseiros que cultivam seu próprio lúpulo, isso pode não importar muito, “já que na maioria dos casos, toda a colheita será adicionada”, diz Daniel van Dijk, dono de um bar em Louisville, Ky., Que fabrica cerveja caseira há 12 anos.

Com isso em mente, parte da fabricação de cerveja com lúpulo fresco torna-se um exercício de desenvolvimento de receitas. Em vez de escrever uma receita com o sabor e o equilíbrio da cerveja acabada em mente, fabricar cerveja com lúpulo fresco é mais uma experiência para responder à pergunta: "Qual será o sabor disso?"

Essa resposta dependerá parcialmente de quão frescos estão os lúpulos quando são adicionados ao mosto durante a fermentação ou à cerveja durante a fermentação.

Rusty Burrell, um engenheiro de software que fabrica cerveja em casa há mais de oito anos - e faz homebrew com seu próprio lúpulo por cinco desses anos - complementa seu lúpulo com pellets de lúpulo. “Eu tendo a usar pellets de lúpulo regulares para amargor e uso os lúpulos caseiros para adições de aroma, sabor e fervura tardia”, diz Burrell.

Os fabricantes de cerveja que cultivam lúpulo há mais de 10 anos e têm colheitas mais prósperas podem usar o lúpulo em todas as fases do processo de fermentação. Esta é uma técnica que Annie Johnson, cervejaria caseira do ano de 2013 e cervejaria caseira de 20 anos, usa em suas cervejas recém-lupuladas. Ela não apenas colhe cones frescos para usar no dia da fermentação, mas também “sela alguns rapidamente a vácuo”, diz ela, e os guarda para lúpulo seco.

Você pode dry-hop com lúpulo fresco?

“Muitas pessoas dizem, 'isso é um não-não, você obterá contaminação, você obterá oxidação', mas eu não descobri nada”, diz Johnson, que também é mestre cervejeiro residente em eletrodomésticos de fabricação de cerveja empresa PicoBrew. Johnson acredita que o lúpulo fresco funciona bem como uma adição de dry hopping porque, uma vez que a cerveja é fermentada, "eu tenho uma cerveja pronta com álcool, então é um pouco mais resistente [à infecção]", diz ela. “Além disso, há uma boa camada de CO2 no garrafão [fermentador].”

Para dry-hop com lúpulo fresco, Johnson embala o lúpulo fresco no gargalo de seu garrafão, dá algumas voltas e deixa o lúpulo infundir por alguns dias. O resultado é um sabor melhor e mais forte, diz ela.

Como regra geral, os cervejeiros detectarão a diferença mais perceptível no sabor ao fabricar cerveja com lúpulo colhido direto da bitola. Para fazer isso, no entanto, eles também precisarão de muito mais deles. Burrell acrescenta: “Esteja ciente de que, como os lúpulos não estão secos, você vai querer usar quatro a seis vezes a quantidade que normalmente usaria para pellets de lúpulo secos comprados em lojas”.

Toda essa matéria extra vegetal tem outra consequência: a perda do mosto. “Se você fizesse um lote normal de cinco galões”, diz Johnson, “você acabaria com três galões”. Em sua experiência, pode haver cinco ou seis polegadas de matéria de lúpulo no fundo da chaleira no final do dia de fermentação, acrescenta ela. Ela recomenda planejar a absorção começando a fermentar um lote de pelo menos sete galões e meio para terminar com o rendimento de uma receita típica de cinco galões.

Por que lúpulo fresco vale a pena esperar

Meses de trabalho, colheitas de horas de duração, protegendo seus braços de bines brutais - tudo por um, talvez dois lotes de cerveja. Então, por que esses cervejeiros caseiros fazem isso?

O lúpulo recém-crescido dá às cervejas Johnson um sabor único que ela não consegue de outra forma. “Você prova o lúpulo e sua forma seca, é uma espécie de [sabor] de banana - banana fresca versus uma banana com lascas ou uma banana verde. Uma banana é meio brilhante, mas não totalmente certa ”, diz ela.

Para Van Dijk, a experiência mais gratificante com seu lúpulo caseiro foi colaborar com uma cervejaria local em uma saison. “Eu adoro a ideia de colaboração porque minha casa está localizada a menos de um quilômetro da cervejaria & # 8230 e eu & # 8217m não tenho certeza se há muitas cervejarias que podem dizer que fabricam cerveja no centro [em Louisville] e têm uma cerveja feita com lúpulo cultivado em milha de distância."

Burrell progrediu em seu cultivo de lúpulo ao longo dos anos, passando de vasos em uma varanda em Washington, D.C., para o cultivo no solo de seu quintal na Virgínia, com uma configuração cada vez melhor. Ele diz que “é muito fácil de fazer e um projeto divertido”. Todos os anos, ele prepara uma cerveja para destacar o sabor de seu lúpulo, e alguns de seus favoritos são estilos de outono para destacar o aspecto de “colheita anual” do ingrediente. “Todos os meus ficaram ótimos”, diz ele.

Próxima etapa: cultive seu próprio lúpulo fresco

Lúpulo fresco é muito difícil de obter, mesmo as melhores lojas de cerveja artesanal não têm acesso a eles. Portanto, a menos que você tenha lúpulo no jardim ou conheça alguém disposto a compartilhar sua preciosa colheita, é tarde demais para preparar uma cerveja recém-lupulada este ano. A boa notícia é que nunca é tarde para começar a planejar seu próprio experimento de cultivo de lúpulo para a próxima colheita. Fique ligado em tudo o que você precisa saber para se preparar, plantar e colher seu próprio lúpulo, a seguir em BIY.


Como preparar sua própria cerveja Fresh-Hop ou Wet-Hop nesta colheita

Todos os anos, há uma janela, algumas semanas, quando nossos feeds do Instagram ficam cheios de verde - imagens de cervejeiros esfregando lúpulo entre as mãos, de produtores de lúpulo puxando seus espinhos cobertos por milhares de cones delicados, de todas as coisas com lúpulo, folhas, e fresco. E apenas algumas semanas depois, há outra janela mais mágica: a curta temporada da cerveja recém-lupulada.

Cervejas recém-lupuladas são um flash no calendário sazonal de cerveja, parte de um breve período em que "suculência" e "maracujá fresco" são deixados para trás por notas sutis de gramíneas que só vêm do lúpulo adicionado à chaleira ou ao redemoinho em horas de ser colhido. Essas cervejas são frutos de um breve mas intenso trabalho de colheita do lúpulo entre meados de agosto e o final de setembro ou início de outubro. Como tal, o tempo para os lançamentos de cerveja fresh-hop e wet-hop é passageiro - elas geralmente ficam no mercado por cerca de três semanas antes de passarem mais um ano.

Claro, isso é parte do que os torna extremamente atraentes. Se você mora longe de regiões de cultivo de lúpulo, como o noroeste do Pacífico, no entanto, pode não conseguir provar uma cerveja com lúpulo molhado (usando lúpulo nunca seco direto da colheita) durante toda a temporada - a menos, é claro, que você mesmo prepare uma cerveja .

Todo amante de cerveja precisa deste pôster de aroma de lúpulo

Fabricação caseira com lúpulo fresco

Um dos enigmas mais óbvios ao fazer cerveja caseira com lúpulo fresco é que não há como saber a composição química dos óleos dentro dos cones, mais importante ainda, a quantidade de alfa ácidos que serão isomerizados na fervura determinando o nível de amargor (medido como IBUs) na cerveja acabada.

Para os cervejeiros caseiros que cultivam seu próprio lúpulo, isso pode não importar muito, “já que na maioria dos casos, toda a colheita será adicionada”, diz Daniel van Dijk, dono de um bar em Louisville, Ky., Que fabrica cerveja caseira há 12 anos.

Com isso em mente, parte da fabricação de cerveja com lúpulo fresco torna-se um exercício de desenvolvimento de receitas. Em vez de escrever uma receita com o sabor e o equilíbrio da cerveja acabada em mente, fabricar cerveja com lúpulo fresco é mais uma experiência para responder à pergunta: "Qual será o sabor disso?"

Essa resposta dependerá parcialmente de quão frescos estão os lúpulos quando são adicionados ao mosto durante a fermentação ou à cerveja durante a fermentação.

Rusty Burrell, um engenheiro de software que fabrica cerveja em casa há mais de oito anos - e faz homebrew com seu próprio lúpulo por cinco desses anos - complementa seu lúpulo com pellets de lúpulo. “Eu tendo a usar pellets de lúpulo regulares para amargor e uso os lúpulos caseiros para adições de aroma, sabor e fervura tardia”, diz Burrell.

Os fabricantes de cerveja que cultivam lúpulo há mais de 10 anos e têm colheitas mais prósperas podem usar o lúpulo em todas as fases do processo de fermentação. Esta é uma técnica que Annie Johnson, cervejaria caseira do ano de 2013 e cervejaria caseira de 20 anos, usa em suas cervejas recém-lupuladas. Ela não apenas colhe cones frescos para usar no dia da fermentação, mas também “fecha rapidamente alguns com vácuo”, diz ela, e os guarda para lúpulo seco.

Você pode dry-hop com lúpulo fresco?

“Muitas pessoas dizem, 'isso é um não-não, você obterá contaminação, você obterá oxidação', mas eu não descobri nada disso”, diz Johnson, que também é mestre cervejeiro residente em eletrodomésticos de fabricação de cerveja empresa PicoBrew. Johnson acredita que o lúpulo fresco funciona bem como uma adição de dry hopping porque, uma vez que a cerveja é fermentada, "eu tenho uma cerveja pronta com álcool, então é um pouco mais resistente [à infecção]", diz ela. “Além disso, há uma boa camada de CO2 no garrafão [fermentador].”

Para dry-hop com lúpulo fresco, Johnson embala o lúpulo fresco no gargalo de seu garrafão, dá algumas voltas e deixa o lúpulo infundir por alguns dias. O resultado é um sabor melhor e mais forte, diz ela.

Como regra geral, os cervejeiros detectarão a diferença mais perceptível no sabor ao fabricar cerveja com lúpulo colhido direto da bitola. Para fazer isso, no entanto, eles também precisarão de muito mais deles. Burrell acrescenta: “Esteja ciente de que, como os lúpulos não estão secos, você vai querer usar quatro a seis vezes a quantidade que normalmente usaria para pellets de lúpulo secos comprados em lojas”.

Toda essa matéria extra vegetal tem outra consequência: a perda do mosto. “Se você fizesse um lote normal de cinco galões”, diz Johnson, “você acabaria com três galões”. Em sua experiência, pode haver cinco ou seis polegadas de matéria de lúpulo no fundo da chaleira no final do dia de fermentação, acrescenta ela. Ela recomenda planejar a absorção, começando a preparar um lote de pelo menos sete galões e meio para terminar com o rendimento de uma receita típica de cinco galões.

Por que lúpulo fresco vale a pena esperar

Meses de trabalho, colheitas de horas de duração, protegendo seus braços de bines brutais - tudo por um, talvez dois lotes de cerveja. Então, por que esses cervejeiros caseiros fazem isso?

O lúpulo recém-crescido dá às cervejas Johnson um sabor único que ela não consegue de outra forma. “Você prova o lúpulo e sua forma seca, é uma espécie de [sabor] de banana - banana fresca versus uma banana com lascas ou uma banana verde. Uma banana é meio brilhante, mas não totalmente certa ”, diz ela.

Para Van Dijk, a experiência mais gratificante com seu lúpulo caseiro foi colaborar com uma cervejaria local em uma saison. “Eu amo a ideia de colaboração porque minha casa está localizada a menos de um quilômetro da cervejaria & # 8230 e eu & # 8217m não tenho certeza se há muitas cervejarias que podem dizer que produzem cerveja no centro [em Louisville] e têm uma cerveja feita com lúpulo cultivado em milha de distância."

Burrell progrediu em seu cultivo de lúpulo ao longo dos anos, passando de vasos em uma varanda em Washington, D.C., para o cultivo no solo de seu quintal na Virgínia, com uma configuração cada vez melhor. Ele diz que “é muito fácil de fazer e um projeto divertido”. Todos os anos, ele prepara uma cerveja para destacar o sabor de seu lúpulo, e alguns de seus favoritos são estilos de outono para destacar o aspecto de “colheita anual” do ingrediente. “Todos os meus ficaram ótimos”, diz ele.

Próxima etapa: cultive seu próprio lúpulo fresco

Lúpulo fresco é muito difícil de obter, mesmo as melhores lojas de cerveja artesanal não têm acesso a eles. Portanto, a menos que você tenha lúpulo no jardim ou conheça alguém disposto a compartilhar sua preciosa colheita, é tarde demais para preparar uma cerveja recém-lupulada este ano. A boa notícia é que nunca é tarde para começar a planejar seu próprio experimento de cultivo de lúpulo para a próxima colheita. Fique ligado em tudo o que você precisa saber para se preparar, plantar e colher seu próprio lúpulo, a seguir em BIY.


Como preparar sua própria cerveja Fresh-Hop ou Wet-Hop nesta colheita

Todos os anos há uma janela, algumas semanas, quando nossos feeds do Instagram ficam cheios de verde - imagens de cervejeiros esfregando lúpulo entre as mãos, de produtores de lúpulo puxando seus grãos cobertos por milhares de cones delicados, de todas as coisas com lúpulo, folhas, e fresco. E apenas algumas semanas depois, há outra janela mais mágica: a curta temporada da cerveja recém-lupulada.

Cervejas recém-lupuladas são um flash no calendário sazonal de cerveja, parte de um breve período em que "suculência" e "maracujá fresco" são deixados para trás por notas sutis de gramíneas que só vêm do lúpulo adicionado à chaleira ou ao redemoinho em horas de ser colhido. Essas cervejas são frutos de um breve mas intenso trabalho de colheita do lúpulo entre meados de agosto e o final de setembro ou início de outubro. Como tal, o tempo para os lançamentos de cerveja fresh-hop e wet-hop é passageiro - elas geralmente ficam no mercado por cerca de três semanas antes de passarem mais um ano.

Claro, isso é parte do que os torna extremamente atraentes. Se você mora longe de regiões produtoras de lúpulo, como o noroeste do Pacífico, no entanto, pode não conseguir provar uma cerveja com lúpulo molhado (usando lúpulo nunca seco direto da colheita) durante toda a temporada - a menos, é claro, que você mesmo prepare .

Todo amante de cerveja precisa deste pôster de aroma de lúpulo

Fabricação caseira com lúpulo fresco

Um dos enigmas mais óbvios ao fazer cerveja caseira com lúpulo fresco é que não há como saber a composição química dos óleos dentro dos cones, mais importante ainda, a quantidade de alfa ácidos que serão isomerizados na fervura determinando o nível de amargor (medido como IBUs) na cerveja acabada.

Para os cervejeiros caseiros que cultivam seu próprio lúpulo, isso pode não importar muito, “já que na maioria dos casos, toda a colheita será adicionada”, diz Daniel van Dijk, dono de um bar em Louisville, Ky., Que fabrica cerveja caseira há 12 anos.

Com isso em mente, parte da fabricação de cerveja com lúpulo fresco torna-se um exercício de desenvolvimento de receitas. Em vez de escrever uma receita com o sabor e o equilíbrio da cerveja acabada em mente, fabricar cerveja com lúpulo fresco é mais uma experiência para responder à pergunta: "Qual será o sabor disso?"

Essa resposta dependerá parcialmente de quão frescos estão os lúpulos quando são adicionados ao mosto durante a fermentação ou à cerveja durante a fermentação.

Rusty Burrell, um engenheiro de software que fabrica cerveja em casa há mais de oito anos - e faz homebrew com seu próprio lúpulo por cinco desses anos - complementa seu lúpulo com pellets de lúpulo. “Eu tendo a usar pellets de lúpulo regulares para amargor e uso os lúpulos caseiros para adições de aroma, sabor e fervura tardia”, diz Burrell.

Os fabricantes de cerveja que cultivam lúpulo há mais de 10 anos e têm safras mais prósperas podem usar o lúpulo em todos os estágios do processo de fermentação. Esta é uma técnica que Annie Johnson, cervejaria caseira do ano de 2013 e cervejaria caseira de 20 anos, usa em suas cervejas recém-lupuladas. Ela não apenas colhe cones frescos para usar no dia da fermentação, mas também “sela alguns rapidamente a vácuo”, diz ela, e os guarda para lúpulo seco.

Can You Dry-Hop With Fresh Hops?

“Many people say, ‘that’s a no-no, you’ll get contamination, you’ll get oxidation,’ but I haven’t found that at all,” says Johnson, who is also brewmaster-in-residence at homebrewing appliance company PicoBrew. Johnson believes fresh hops work well as a dry hopping addition because, once the beer is fermented, “I have a finished beer with alcohol in it, so it’s a little more resistant [to infection],” she says. “Plus, there is a nice layer of CO2 in the carboy [fermenter].”

To dry-hop with fresh hops, Johnson packs the fresh hops down the neck of her carboy, gives it a few swirls, and lets the hops infuse for a few days. The result is a better and stronger flavor, she says.

As a general rule, brewers will detect the most noticeable difference in flavor when brewing with hops picked straight from the bine. To do this, however, they’ll also need a lot more of them. Burrell adds, “Be aware that because the hops are not dried, you will want to use four to six times the amount you would normally use for store bought dried hop pellets.”

All of that extra vegetal matter has another consequence: wort loss. “If you made a normal five-gallon batch,” says Johnson, “you would end up with three gallons.” In her experience, there may be five or six inches of hop matter at the bottom of the kettle at the end of brew day, she adds. She recommends planning for absorption by starting out brewing at least a seven-and-a-half-gallon batch to end up with the yield of a typical five-gallon recipe.

Why Fresh Hops Are Worth the Wait

Months of work, hours-long harvests, protecting your arms from brutal bines — all for one, maybe two batches of beer. So, why do these homebrewers do it?

The fresh-grown hops give Johnson’s beers a unique flavor she can’t achieve any other way. “You taste the hop and it’s dried form, it’s kind of a banana [flavor] — fresh banana versus a banana chip or an unripe banana. A banana is kind of bright, but not all the way right,” she says.

For Van Dijk, the most rewarding experience with his homegrown hops was collaborating with a local brewery on a saison. “I love the collab idea because my house is located less than a mile from the brewery … and I’m not sure there are many breweries that can say they brew downtown [in Louisville] and have a beer made with hops grown a mile away.”

Burrell has progressed in his hop-growing over the years, moving from pots on a balcony in Washington, D.C., to growing in the ground in his yard in Virginia with an ever-improving setup. He says “it’s pretty easy to do, and a fun project.” Every year, he brews a beer to highlight the flavor of his hops, and some of his favorites have been fall styles to highlight the “annual harvest” aspect of the ingredient. “All of mine have turned out great,” he says.

Next Step: Grow Your Own Fresh Hops

Fresh hops are very hard to source even the best homebrew shops don’t have access to them. So, unless you have hops in the garden or know someone willing to share their precious harvest, it’s too late for you to brew a fresh-hopped beer this year. The good news is, it’s never too late to start planning your own hop-growing experiment for the next harvest. Stay tuned for everything you need to know to prep for, plant, and harvest your own hops, next up in BIY.


How to Homebrew Your Own Fresh-Hop or Wet-Hop Beer This Harvest

Every year there is a window, a few weeks, when our Instagram feeds are filled with green — images of brewers rubbing hops between their hands, of hop farmers pulling down their bines covered in thousands of delicate cones, of all things hoppy, leafy, and fresh. And just a few weeks later there’s another, more magical window: the short season of the fresh-hopped beer.

Fresh-hopped beers are a flash on the seasonal beer calendar, part of a brief period when “juiciness” and “fresh passion fruit” are left behind for subtle, grassy notes that only come from hops added to the boil kettle or whirlpool within hours of being harvested. These beers are the fruits of the brief but intense labor of the hop harvest between mid-August and the end of September or early October. As such, the time for fresh-hop and wet-hop beer releases is fleeting — they’re usually on the market for about three weeks before they’re gone for another year.

Of course, this is part of what makes them extremely appealing. If you live far from hop-growing regions like the Pacific Northwest, however, you may not get to taste a wet-hopped beer (using never-dried hops straight from the harvest) all season — unless, of course, you brew it yourself.

Every Beer Lover Needs This Hop Aroma Poster

Homebrewing With Fresh Hops

One of the most obvious conundrums when homebrewing with fresh hops is that there is no way of knowing the chemical makeup of oils inside the cones, most importantly the quantity of alpha acids that will be isomerized in the boil determining the level of bitterness (measured as IBUs) in the finished beer.

For homebrewers growing their own hops, this might not matter much, “since in most cases, the entire harvest will be added,” says Daniel van Dijk, a bar owner based in Louisville, Ky., who has been homebrewing for 12 years.

With this in mind, part of brewing with fresh hops becomes an exercise in recipe development. Instead of writing a recipe with the flavor and balance of the finished beer in mind, brewing with fresh hops is more of an experiment to answer the question, “What will this taste like?”

That answer will depend partially on how fresh the hops are when they are added to the wort while brewing or the beer during fermentation.

Rusty Burrell, a software engineer who has been homebrewing for more than eight years — and homebrewing with his own hops for five of those years — supplements his hops with hop pellets. “I tend to use regular hop pellets for bittering, and use the homegrown hops for aroma, flavor, and late boil additions,” Burrell says.

Brewers who have been growing hops for more than 10 years and have more prosperous harvests can use hops at every stage of the brewing process. This is a technique Annie Johnson, 2013 Homebrewer of the Year and homebrewer of 20 years uses in her fresh-hopped beers. She not only harvests fresh cones to use on brew day, but also “quickly vacuum seals some,” she says, and saves them for dry hopping.

Can You Dry-Hop With Fresh Hops?

“Many people say, ‘that’s a no-no, you’ll get contamination, you’ll get oxidation,’ but I haven’t found that at all,” says Johnson, who is also brewmaster-in-residence at homebrewing appliance company PicoBrew. Johnson believes fresh hops work well as a dry hopping addition because, once the beer is fermented, “I have a finished beer with alcohol in it, so it’s a little more resistant [to infection],” she says. “Plus, there is a nice layer of CO2 in the carboy [fermenter].”

To dry-hop with fresh hops, Johnson packs the fresh hops down the neck of her carboy, gives it a few swirls, and lets the hops infuse for a few days. The result is a better and stronger flavor, she says.

As a general rule, brewers will detect the most noticeable difference in flavor when brewing with hops picked straight from the bine. To do this, however, they’ll also need a lot more of them. Burrell adds, “Be aware that because the hops are not dried, you will want to use four to six times the amount you would normally use for store bought dried hop pellets.”

All of that extra vegetal matter has another consequence: wort loss. “If you made a normal five-gallon batch,” says Johnson, “you would end up with three gallons.” In her experience, there may be five or six inches of hop matter at the bottom of the kettle at the end of brew day, she adds. She recommends planning for absorption by starting out brewing at least a seven-and-a-half-gallon batch to end up with the yield of a typical five-gallon recipe.

Why Fresh Hops Are Worth the Wait

Months of work, hours-long harvests, protecting your arms from brutal bines — all for one, maybe two batches of beer. So, why do these homebrewers do it?

The fresh-grown hops give Johnson’s beers a unique flavor she can’t achieve any other way. “You taste the hop and it’s dried form, it’s kind of a banana [flavor] — fresh banana versus a banana chip or an unripe banana. A banana is kind of bright, but not all the way right,” she says.

For Van Dijk, the most rewarding experience with his homegrown hops was collaborating with a local brewery on a saison. “I love the collab idea because my house is located less than a mile from the brewery … and I’m not sure there are many breweries that can say they brew downtown [in Louisville] and have a beer made with hops grown a mile away.”

Burrell has progressed in his hop-growing over the years, moving from pots on a balcony in Washington, D.C., to growing in the ground in his yard in Virginia with an ever-improving setup. He says “it’s pretty easy to do, and a fun project.” Every year, he brews a beer to highlight the flavor of his hops, and some of his favorites have been fall styles to highlight the “annual harvest” aspect of the ingredient. “All of mine have turned out great,” he says.

Next Step: Grow Your Own Fresh Hops

Fresh hops are very hard to source even the best homebrew shops don’t have access to them. So, unless you have hops in the garden or know someone willing to share their precious harvest, it’s too late for you to brew a fresh-hopped beer this year. The good news is, it’s never too late to start planning your own hop-growing experiment for the next harvest. Stay tuned for everything you need to know to prep for, plant, and harvest your own hops, next up in BIY.


How to Homebrew Your Own Fresh-Hop or Wet-Hop Beer This Harvest

Every year there is a window, a few weeks, when our Instagram feeds are filled with green — images of brewers rubbing hops between their hands, of hop farmers pulling down their bines covered in thousands of delicate cones, of all things hoppy, leafy, and fresh. And just a few weeks later there’s another, more magical window: the short season of the fresh-hopped beer.

Fresh-hopped beers are a flash on the seasonal beer calendar, part of a brief period when “juiciness” and “fresh passion fruit” are left behind for subtle, grassy notes that only come from hops added to the boil kettle or whirlpool within hours of being harvested. These beers are the fruits of the brief but intense labor of the hop harvest between mid-August and the end of September or early October. As such, the time for fresh-hop and wet-hop beer releases is fleeting — they’re usually on the market for about three weeks before they’re gone for another year.

Of course, this is part of what makes them extremely appealing. If you live far from hop-growing regions like the Pacific Northwest, however, you may not get to taste a wet-hopped beer (using never-dried hops straight from the harvest) all season — unless, of course, you brew it yourself.

Every Beer Lover Needs This Hop Aroma Poster

Homebrewing With Fresh Hops

One of the most obvious conundrums when homebrewing with fresh hops is that there is no way of knowing the chemical makeup of oils inside the cones, most importantly the quantity of alpha acids that will be isomerized in the boil determining the level of bitterness (measured as IBUs) in the finished beer.

For homebrewers growing their own hops, this might not matter much, “since in most cases, the entire harvest will be added,” says Daniel van Dijk, a bar owner based in Louisville, Ky., who has been homebrewing for 12 years.

With this in mind, part of brewing with fresh hops becomes an exercise in recipe development. Instead of writing a recipe with the flavor and balance of the finished beer in mind, brewing with fresh hops is more of an experiment to answer the question, “What will this taste like?”

That answer will depend partially on how fresh the hops are when they are added to the wort while brewing or the beer during fermentation.

Rusty Burrell, a software engineer who has been homebrewing for more than eight years — and homebrewing with his own hops for five of those years — supplements his hops with hop pellets. “I tend to use regular hop pellets for bittering, and use the homegrown hops for aroma, flavor, and late boil additions,” Burrell says.

Brewers who have been growing hops for more than 10 years and have more prosperous harvests can use hops at every stage of the brewing process. This is a technique Annie Johnson, 2013 Homebrewer of the Year and homebrewer of 20 years uses in her fresh-hopped beers. She not only harvests fresh cones to use on brew day, but also “quickly vacuum seals some,” she says, and saves them for dry hopping.

Can You Dry-Hop With Fresh Hops?

“Many people say, ‘that’s a no-no, you’ll get contamination, you’ll get oxidation,’ but I haven’t found that at all,” says Johnson, who is also brewmaster-in-residence at homebrewing appliance company PicoBrew. Johnson believes fresh hops work well as a dry hopping addition because, once the beer is fermented, “I have a finished beer with alcohol in it, so it’s a little more resistant [to infection],” she says. “Plus, there is a nice layer of CO2 in the carboy [fermenter].”

To dry-hop with fresh hops, Johnson packs the fresh hops down the neck of her carboy, gives it a few swirls, and lets the hops infuse for a few days. The result is a better and stronger flavor, she says.

As a general rule, brewers will detect the most noticeable difference in flavor when brewing with hops picked straight from the bine. To do this, however, they’ll also need a lot more of them. Burrell adds, “Be aware that because the hops are not dried, you will want to use four to six times the amount you would normally use for store bought dried hop pellets.”

All of that extra vegetal matter has another consequence: wort loss. “If you made a normal five-gallon batch,” says Johnson, “you would end up with three gallons.” In her experience, there may be five or six inches of hop matter at the bottom of the kettle at the end of brew day, she adds. She recommends planning for absorption by starting out brewing at least a seven-and-a-half-gallon batch to end up with the yield of a typical five-gallon recipe.

Why Fresh Hops Are Worth the Wait

Months of work, hours-long harvests, protecting your arms from brutal bines — all for one, maybe two batches of beer. So, why do these homebrewers do it?

The fresh-grown hops give Johnson’s beers a unique flavor she can’t achieve any other way. “You taste the hop and it’s dried form, it’s kind of a banana [flavor] — fresh banana versus a banana chip or an unripe banana. A banana is kind of bright, but not all the way right,” she says.

For Van Dijk, the most rewarding experience with his homegrown hops was collaborating with a local brewery on a saison. “I love the collab idea because my house is located less than a mile from the brewery … and I’m not sure there are many breweries that can say they brew downtown [in Louisville] and have a beer made with hops grown a mile away.”

Burrell has progressed in his hop-growing over the years, moving from pots on a balcony in Washington, D.C., to growing in the ground in his yard in Virginia with an ever-improving setup. He says “it’s pretty easy to do, and a fun project.” Every year, he brews a beer to highlight the flavor of his hops, and some of his favorites have been fall styles to highlight the “annual harvest” aspect of the ingredient. “All of mine have turned out great,” he says.

Next Step: Grow Your Own Fresh Hops

Fresh hops are very hard to source even the best homebrew shops don’t have access to them. So, unless you have hops in the garden or know someone willing to share their precious harvest, it’s too late for you to brew a fresh-hopped beer this year. The good news is, it’s never too late to start planning your own hop-growing experiment for the next harvest. Stay tuned for everything you need to know to prep for, plant, and harvest your own hops, next up in BIY.


How to Homebrew Your Own Fresh-Hop or Wet-Hop Beer This Harvest

Every year there is a window, a few weeks, when our Instagram feeds are filled with green — images of brewers rubbing hops between their hands, of hop farmers pulling down their bines covered in thousands of delicate cones, of all things hoppy, leafy, and fresh. And just a few weeks later there’s another, more magical window: the short season of the fresh-hopped beer.

Fresh-hopped beers are a flash on the seasonal beer calendar, part of a brief period when “juiciness” and “fresh passion fruit” are left behind for subtle, grassy notes that only come from hops added to the boil kettle or whirlpool within hours of being harvested. These beers are the fruits of the brief but intense labor of the hop harvest between mid-August and the end of September or early October. As such, the time for fresh-hop and wet-hop beer releases is fleeting — they’re usually on the market for about three weeks before they’re gone for another year.

Of course, this is part of what makes them extremely appealing. If you live far from hop-growing regions like the Pacific Northwest, however, you may not get to taste a wet-hopped beer (using never-dried hops straight from the harvest) all season — unless, of course, you brew it yourself.

Every Beer Lover Needs This Hop Aroma Poster

Homebrewing With Fresh Hops

One of the most obvious conundrums when homebrewing with fresh hops is that there is no way of knowing the chemical makeup of oils inside the cones, most importantly the quantity of alpha acids that will be isomerized in the boil determining the level of bitterness (measured as IBUs) in the finished beer.

For homebrewers growing their own hops, this might not matter much, “since in most cases, the entire harvest will be added,” says Daniel van Dijk, a bar owner based in Louisville, Ky., who has been homebrewing for 12 years.

With this in mind, part of brewing with fresh hops becomes an exercise in recipe development. Instead of writing a recipe with the flavor and balance of the finished beer in mind, brewing with fresh hops is more of an experiment to answer the question, “What will this taste like?”

That answer will depend partially on how fresh the hops are when they are added to the wort while brewing or the beer during fermentation.

Rusty Burrell, a software engineer who has been homebrewing for more than eight years — and homebrewing with his own hops for five of those years — supplements his hops with hop pellets. “I tend to use regular hop pellets for bittering, and use the homegrown hops for aroma, flavor, and late boil additions,” Burrell says.

Brewers who have been growing hops for more than 10 years and have more prosperous harvests can use hops at every stage of the brewing process. This is a technique Annie Johnson, 2013 Homebrewer of the Year and homebrewer of 20 years uses in her fresh-hopped beers. She not only harvests fresh cones to use on brew day, but also “quickly vacuum seals some,” she says, and saves them for dry hopping.

Can You Dry-Hop With Fresh Hops?

“Many people say, ‘that’s a no-no, you’ll get contamination, you’ll get oxidation,’ but I haven’t found that at all,” says Johnson, who is also brewmaster-in-residence at homebrewing appliance company PicoBrew. Johnson believes fresh hops work well as a dry hopping addition because, once the beer is fermented, “I have a finished beer with alcohol in it, so it’s a little more resistant [to infection],” she says. “Plus, there is a nice layer of CO2 in the carboy [fermenter].”

To dry-hop with fresh hops, Johnson packs the fresh hops down the neck of her carboy, gives it a few swirls, and lets the hops infuse for a few days. The result is a better and stronger flavor, she says.

As a general rule, brewers will detect the most noticeable difference in flavor when brewing with hops picked straight from the bine. To do this, however, they’ll also need a lot more of them. Burrell adds, “Be aware that because the hops are not dried, you will want to use four to six times the amount you would normally use for store bought dried hop pellets.”

All of that extra vegetal matter has another consequence: wort loss. “If you made a normal five-gallon batch,” says Johnson, “you would end up with three gallons.” In her experience, there may be five or six inches of hop matter at the bottom of the kettle at the end of brew day, she adds. She recommends planning for absorption by starting out brewing at least a seven-and-a-half-gallon batch to end up with the yield of a typical five-gallon recipe.

Why Fresh Hops Are Worth the Wait

Months of work, hours-long harvests, protecting your arms from brutal bines — all for one, maybe two batches of beer. So, why do these homebrewers do it?

The fresh-grown hops give Johnson’s beers a unique flavor she can’t achieve any other way. “You taste the hop and it’s dried form, it’s kind of a banana [flavor] — fresh banana versus a banana chip or an unripe banana. A banana is kind of bright, but not all the way right,” she says.

For Van Dijk, the most rewarding experience with his homegrown hops was collaborating with a local brewery on a saison. “I love the collab idea because my house is located less than a mile from the brewery … and I’m not sure there are many breweries that can say they brew downtown [in Louisville] and have a beer made with hops grown a mile away.”

Burrell has progressed in his hop-growing over the years, moving from pots on a balcony in Washington, D.C., to growing in the ground in his yard in Virginia with an ever-improving setup. He says “it’s pretty easy to do, and a fun project.” Every year, he brews a beer to highlight the flavor of his hops, and some of his favorites have been fall styles to highlight the “annual harvest” aspect of the ingredient. “All of mine have turned out great,” he says.

Next Step: Grow Your Own Fresh Hops

Fresh hops are very hard to source even the best homebrew shops don’t have access to them. So, unless you have hops in the garden or know someone willing to share their precious harvest, it’s too late for you to brew a fresh-hopped beer this year. The good news is, it’s never too late to start planning your own hop-growing experiment for the next harvest. Stay tuned for everything you need to know to prep for, plant, and harvest your own hops, next up in BIY.


How to Homebrew Your Own Fresh-Hop or Wet-Hop Beer This Harvest

Every year there is a window, a few weeks, when our Instagram feeds are filled with green — images of brewers rubbing hops between their hands, of hop farmers pulling down their bines covered in thousands of delicate cones, of all things hoppy, leafy, and fresh. And just a few weeks later there’s another, more magical window: the short season of the fresh-hopped beer.

Fresh-hopped beers are a flash on the seasonal beer calendar, part of a brief period when “juiciness” and “fresh passion fruit” are left behind for subtle, grassy notes that only come from hops added to the boil kettle or whirlpool within hours of being harvested. These beers are the fruits of the brief but intense labor of the hop harvest between mid-August and the end of September or early October. As such, the time for fresh-hop and wet-hop beer releases is fleeting — they’re usually on the market for about three weeks before they’re gone for another year.

Of course, this is part of what makes them extremely appealing. If you live far from hop-growing regions like the Pacific Northwest, however, you may not get to taste a wet-hopped beer (using never-dried hops straight from the harvest) all season — unless, of course, you brew it yourself.

Every Beer Lover Needs This Hop Aroma Poster

Homebrewing With Fresh Hops

One of the most obvious conundrums when homebrewing with fresh hops is that there is no way of knowing the chemical makeup of oils inside the cones, most importantly the quantity of alpha acids that will be isomerized in the boil determining the level of bitterness (measured as IBUs) in the finished beer.

For homebrewers growing their own hops, this might not matter much, “since in most cases, the entire harvest will be added,” says Daniel van Dijk, a bar owner based in Louisville, Ky., who has been homebrewing for 12 years.

With this in mind, part of brewing with fresh hops becomes an exercise in recipe development. Instead of writing a recipe with the flavor and balance of the finished beer in mind, brewing with fresh hops is more of an experiment to answer the question, “What will this taste like?”

That answer will depend partially on how fresh the hops are when they are added to the wort while brewing or the beer during fermentation.

Rusty Burrell, a software engineer who has been homebrewing for more than eight years — and homebrewing with his own hops for five of those years — supplements his hops with hop pellets. “I tend to use regular hop pellets for bittering, and use the homegrown hops for aroma, flavor, and late boil additions,” Burrell says.

Brewers who have been growing hops for more than 10 years and have more prosperous harvests can use hops at every stage of the brewing process. This is a technique Annie Johnson, 2013 Homebrewer of the Year and homebrewer of 20 years uses in her fresh-hopped beers. She not only harvests fresh cones to use on brew day, but also “quickly vacuum seals some,” she says, and saves them for dry hopping.

Can You Dry-Hop With Fresh Hops?

“Many people say, ‘that’s a no-no, you’ll get contamination, you’ll get oxidation,’ but I haven’t found that at all,” says Johnson, who is also brewmaster-in-residence at homebrewing appliance company PicoBrew. Johnson believes fresh hops work well as a dry hopping addition because, once the beer is fermented, “I have a finished beer with alcohol in it, so it’s a little more resistant [to infection],” she says. “Plus, there is a nice layer of CO2 in the carboy [fermenter].”

To dry-hop with fresh hops, Johnson packs the fresh hops down the neck of her carboy, gives it a few swirls, and lets the hops infuse for a few days. The result is a better and stronger flavor, she says.

As a general rule, brewers will detect the most noticeable difference in flavor when brewing with hops picked straight from the bine. To do this, however, they’ll also need a lot more of them. Burrell adds, “Be aware that because the hops are not dried, you will want to use four to six times the amount you would normally use for store bought dried hop pellets.”

All of that extra vegetal matter has another consequence: wort loss. “If you made a normal five-gallon batch,” says Johnson, “you would end up with three gallons.” In her experience, there may be five or six inches of hop matter at the bottom of the kettle at the end of brew day, she adds. She recommends planning for absorption by starting out brewing at least a seven-and-a-half-gallon batch to end up with the yield of a typical five-gallon recipe.

Why Fresh Hops Are Worth the Wait

Months of work, hours-long harvests, protecting your arms from brutal bines — all for one, maybe two batches of beer. So, why do these homebrewers do it?

The fresh-grown hops give Johnson’s beers a unique flavor she can’t achieve any other way. “You taste the hop and it’s dried form, it’s kind of a banana [flavor] — fresh banana versus a banana chip or an unripe banana. A banana is kind of bright, but not all the way right,” she says.

For Van Dijk, the most rewarding experience with his homegrown hops was collaborating with a local brewery on a saison. “I love the collab idea because my house is located less than a mile from the brewery … and I’m not sure there are many breweries that can say they brew downtown [in Louisville] and have a beer made with hops grown a mile away.”

Burrell has progressed in his hop-growing over the years, moving from pots on a balcony in Washington, D.C., to growing in the ground in his yard in Virginia with an ever-improving setup. He says “it’s pretty easy to do, and a fun project.” Every year, he brews a beer to highlight the flavor of his hops, and some of his favorites have been fall styles to highlight the “annual harvest” aspect of the ingredient. “All of mine have turned out great,” he says.

Next Step: Grow Your Own Fresh Hops

Fresh hops are very hard to source even the best homebrew shops don’t have access to them. So, unless you have hops in the garden or know someone willing to share their precious harvest, it’s too late for you to brew a fresh-hopped beer this year. The good news is, it’s never too late to start planning your own hop-growing experiment for the next harvest. Stay tuned for everything you need to know to prep for, plant, and harvest your own hops, next up in BIY.


How to Homebrew Your Own Fresh-Hop or Wet-Hop Beer This Harvest

Every year there is a window, a few weeks, when our Instagram feeds are filled with green — images of brewers rubbing hops between their hands, of hop farmers pulling down their bines covered in thousands of delicate cones, of all things hoppy, leafy, and fresh. And just a few weeks later there’s another, more magical window: the short season of the fresh-hopped beer.

Fresh-hopped beers are a flash on the seasonal beer calendar, part of a brief period when “juiciness” and “fresh passion fruit” are left behind for subtle, grassy notes that only come from hops added to the boil kettle or whirlpool within hours of being harvested. These beers are the fruits of the brief but intense labor of the hop harvest between mid-August and the end of September or early October. As such, the time for fresh-hop and wet-hop beer releases is fleeting — they’re usually on the market for about three weeks before they’re gone for another year.

Of course, this is part of what makes them extremely appealing. If you live far from hop-growing regions like the Pacific Northwest, however, you may not get to taste a wet-hopped beer (using never-dried hops straight from the harvest) all season — unless, of course, you brew it yourself.

Every Beer Lover Needs This Hop Aroma Poster

Homebrewing With Fresh Hops

One of the most obvious conundrums when homebrewing with fresh hops is that there is no way of knowing the chemical makeup of oils inside the cones, most importantly the quantity of alpha acids that will be isomerized in the boil determining the level of bitterness (measured as IBUs) in the finished beer.

For homebrewers growing their own hops, this might not matter much, “since in most cases, the entire harvest will be added,” says Daniel van Dijk, a bar owner based in Louisville, Ky., who has been homebrewing for 12 years.

With this in mind, part of brewing with fresh hops becomes an exercise in recipe development. Instead of writing a recipe with the flavor and balance of the finished beer in mind, brewing with fresh hops is more of an experiment to answer the question, “What will this taste like?”

That answer will depend partially on how fresh the hops are when they are added to the wort while brewing or the beer during fermentation.

Rusty Burrell, a software engineer who has been homebrewing for more than eight years — and homebrewing with his own hops for five of those years — supplements his hops with hop pellets. “I tend to use regular hop pellets for bittering, and use the homegrown hops for aroma, flavor, and late boil additions,” Burrell says.

Brewers who have been growing hops for more than 10 years and have more prosperous harvests can use hops at every stage of the brewing process. This is a technique Annie Johnson, 2013 Homebrewer of the Year and homebrewer of 20 years uses in her fresh-hopped beers. She not only harvests fresh cones to use on brew day, but also “quickly vacuum seals some,” she says, and saves them for dry hopping.

Can You Dry-Hop With Fresh Hops?

“Many people say, ‘that’s a no-no, you’ll get contamination, you’ll get oxidation,’ but I haven’t found that at all,” says Johnson, who is also brewmaster-in-residence at homebrewing appliance company PicoBrew. Johnson believes fresh hops work well as a dry hopping addition because, once the beer is fermented, “I have a finished beer with alcohol in it, so it’s a little more resistant [to infection],” she says. “Plus, there is a nice layer of CO2 in the carboy [fermenter].”

To dry-hop with fresh hops, Johnson packs the fresh hops down the neck of her carboy, gives it a few swirls, and lets the hops infuse for a few days. The result is a better and stronger flavor, she says.

As a general rule, brewers will detect the most noticeable difference in flavor when brewing with hops picked straight from the bine. To do this, however, they’ll also need a lot more of them. Burrell adds, “Be aware that because the hops are not dried, you will want to use four to six times the amount you would normally use for store bought dried hop pellets.”

All of that extra vegetal matter has another consequence: wort loss. “If you made a normal five-gallon batch,” says Johnson, “you would end up with three gallons.” In her experience, there may be five or six inches of hop matter at the bottom of the kettle at the end of brew day, she adds. She recommends planning for absorption by starting out brewing at least a seven-and-a-half-gallon batch to end up with the yield of a typical five-gallon recipe.

Why Fresh Hops Are Worth the Wait

Months of work, hours-long harvests, protecting your arms from brutal bines — all for one, maybe two batches of beer. So, why do these homebrewers do it?

The fresh-grown hops give Johnson’s beers a unique flavor she can’t achieve any other way. “You taste the hop and it’s dried form, it’s kind of a banana [flavor] — fresh banana versus a banana chip or an unripe banana. A banana is kind of bright, but not all the way right,” she says.

For Van Dijk, the most rewarding experience with his homegrown hops was collaborating with a local brewery on a saison. “I love the collab idea because my house is located less than a mile from the brewery … and I’m not sure there are many breweries that can say they brew downtown [in Louisville] and have a beer made with hops grown a mile away.”

Burrell has progressed in his hop-growing over the years, moving from pots on a balcony in Washington, D.C., to growing in the ground in his yard in Virginia with an ever-improving setup. He says “it’s pretty easy to do, and a fun project.” Every year, he brews a beer to highlight the flavor of his hops, and some of his favorites have been fall styles to highlight the “annual harvest” aspect of the ingredient. “All of mine have turned out great,” he says.

Next Step: Grow Your Own Fresh Hops

Fresh hops are very hard to source even the best homebrew shops don’t have access to them. So, unless you have hops in the garden or know someone willing to share their precious harvest, it’s too late for you to brew a fresh-hopped beer this year. The good news is, it’s never too late to start planning your own hop-growing experiment for the next harvest. Stay tuned for everything you need to know to prep for, plant, and harvest your own hops, next up in BIY.


Assista o vídeo: Histórias da Cerveja: Saison. Concerveja 358365 (Janeiro 2022).