Novas receitas

Um hotel com cerveja artesanal está em andamento

Um hotel com cerveja artesanal está em andamento

Stone Brewing está trabalhando com a Untitled Hospitality para dar vida ao Stone Hotel

Uma cerveja de cortesia na chegada, serviço de entrega de rosbife no quarto e três bares no local são apenas algumas das coisas que você pode esperar no novo Stone Hotel.

Fabricação de pedra, o décimo maior cervejaria artesanal nos Estados Unidos, está expandindo sua marca e entrando no setor de hospitalidade com a ajuda da Untitled Hospitality, de acordo com um comunicado.

As empresas estão se unindo para desenvolver o Stone Hotel, com inauguração prevista para o primeiro trimestre de 2018. Ele ficará localizado próximo ao Stone Brewing World Bistro & Gardens em Escondido, Califórnia.

O hotel "oferecerá uma experiência abrangente com amenidades para cativar entusiastas da cerveja artesanal e novatos, ao lado da dose saudável de desrespeito de Stone pelas convenções".

O hotel de US $ 26 milhões e 100.000 pés quadrados contará com um "lobby de check-in em estilo bar", janelas do chão ao teto, um jardim de 10.000 pés quadrados na cobertura e três bares no local. Serviço de entrega Growler, cervejas especiais de lançamento e assentos prioritários no Stone Brewing World Bistro & Gardens também estarão disponíveis para os hóspedes.

“Anos de reflexão foram dedicados ao desenvolvimento do Stone Hotel e isso se refletirá em todos os cantos do lugar”, disse Greg Koch, cofundador da Stone Brewing. “Mal posso esperar para dar aos nossos fãs esta incrível extensão da experiência Stone.”

Aqui estão 10 coisas que apostamos que você não sabia sobre cerveja artesanal.


História da cerveja de Lehigh Valley: ‘Nix Besser!’ (Nada melhor) do que a Cervejaria Neuweiler - era uma vez em Allentown

Do início a meados dos anos 90, íamos ao Allentown's Sterling Hotel, lotávamos o palco de música ao vivo (estou olhando para você, John Bloys e The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) e saboreamos alguns Dark Lagers da Cervejaria Neuweiler.

Os sabores cremosos, torrados, torrados e biscoitos característicos permanecem na ponta da minha língua enquanto penso nessas deliciosas sensações. Memórias do paladar são coisas incríveis.

A mensagem na garrafa dizia: "Nix Besser!" (None Better) e evocou a rica e centenária história da cervejaria do Vale de Lehigh.

Era uma vez perto do rio Lehigh, em Allentown, os elixires espumosos eram produzidos pelo barril na agora fechada cervejaria familiar Neuwelier.

Neuweiler era a fábrica de cerveja mais elegante da região quando Louis Neuweiler - um cervejeiro alemão - e seu filho Charles a abriram nas ruas Front e Gordon em 1913, dois anos antes do fechamento da cervejaria Lieberman da cidade.

A cervejaria também era conhecida por suas cervejas Light e Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (sazonal), Porter, Stout e Hochberg Premium Plus Beer. A maioria estava disponível em 12 onças. “Steinies” ou garrafas de exportação, litros, latas ou barris.

Mas, com o gosto da cerveja mudando após a Segunda Guerra Mundial e Neuweiler endividado, a cervejaria fechou em 1968.

Em 1991, um grupo de proprietários de negócios de Allentown reviveu a marca / receitas Neuweiler e as cervejas renasceram e foram produzidas na The Lion Brewery em Wilkes-Barre.

De acordo com os relatórios da Morning Call, no início dos anos 90, engenheiros químicos analisaram velhas garrafas de Neuweiler’s Stock Ale e conseguiram cópias da fórmula original de cerveja para fazer a cerveja.

A nova cerveja manteve-se bastante próxima da fórmula original, completa com cevada de origem britânica, embora usasse lúpulo inglês Kent Golding.

Os investidores de Lehigh Valley tiveram sucesso inicial. A Dark Lager de Neuweiler, produzida em Wilkes-Barre, ganhou a medalha de bronze no Great American Beer Festival em 1992.

Em 1993, Neuweiler tinha mercados em Nova York e Pensilvânia e relatou vendas de cerca de US $ 386.000.

O renascimento da cerveja popular durou até o final dos anos 1990, quando um contrato com a produtora The Lion em Wilkes-Barre acabou e os suprimentos secaram.

O empreendimento perdeu um pouco de sua faísca após a morte de Jay Barrett, gerente geral de um distribuidor de cerveja Allentown e promotor da comunidade.

Em 1998, as vendas da empresa caíram para cerca de $ 146.000 e a empresa relatou um prejuízo de $ 26.485.

Pouco depois disso, as vendas das quatro principais marcas de Neuweiler diminuíram e, eventualmente, pararam de aparecer e a produção foi encerrada.

A robusta cervejaria de seis andares de Neuweiler de tijolos vermelhos foi construída com uma grande letra de concreto "N" em sua parede frontal e uma cúpula elegante de cobre e vidro no topo. Em minhas viagens matinais para o prédio The Morning Call nas ruas Sixth e Linden - na época em que viajar diariamente e um escritório eram coisas - eu ficava maravilhado com este telhado ornamental a cada dia.

Com sua rica herança alemã, o Vale de Lehigh ostenta uma robusta tradição cervejeira. O Vale do Lehigh foi construído em aço e cerveja. Você não pode ter um sem o outro, certo?

A primeira cervejaria na área foi estabelecida pelos primeiros colonos da Morávia em Christian Springs em 1749. Outros logo seguiriam em Allentown, Bethlehem e Easton.

Do final de 1800 ao início de 1900, a fabricação de cerveja prosperou e Allentown foi o lar de várias cervejarias importantes, incluindo Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman e Horlacher.

A proibição colocou um limite apertado no negócio da cerveja em 1920, forçando as cervejarias a mudarem para “quase cervejas” e refrigerantes menos lucrativos. Alguns sobreviveram, outros não tiveram tanta sorte.

Agora, a área em torno da antiga Cervejaria Neuweiler está sendo considerada para um grande projeto de desenvolvimento ao longo do rio Lehigh. Como seria incrível restaurar as paredes em ruínas daquela antiga cervejaria e fazer com que a operação fluísse mais uma vez.

Alguns anos atrás, esforços estavam em andamento para fazer exatamente isso. Ouvi dizer que o novo grupo de desenvolvimento definido para construir neste local pode estar introduzindo uma cervejaria, choperia ou algo assim no prédio menor nos fundos. Isso seria muito legal.

Até aquele dia, podemos sonhar e relembrar os deliciosos sabores da célebre cervejaria Allentown. Nix Besser, de fato.

Craig Larimer, editor da Morning Call Sports & amp Entertainment e escritor de cerveja, pode ser contatado pelo telefone 610-778-7993 ou pelo telefone [email protected]

The Morning Call conta com o apoio de nossos assinantes para financiar nosso jornalismo enquanto continuamos a cobrir a crise do coronavírus. Se você ainda não se inscreveu, esperamos que você considerará se inscrever. Se você já é um assinante de impressão e não ativou seu acesso digital, por favor ative seu acesso digital hoje.


História da cerveja de Lehigh Valley: ‘Nix Besser!’ (Nada melhor) do que a Cervejaria Neuweiler - era uma vez em Allentown

Do início a meados dos anos 90, íamos ao Allentown's Sterling Hotel, lotávamos o palco de música ao vivo (estou olhando para você, John Bloys e The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) e saboreamos alguns Dark Lagers da Cervejaria Neuweiler.

Os sabores cremosos, torrados, torrados e biscoitos característicos permanecem na ponta da minha língua enquanto penso nessas deliciosas sensações. Memórias do paladar são coisas incríveis.

A mensagem na garrafa dizia: "Nix Besser!" (None Better) e evocou a rica e centenária história da cervejaria do Vale de Lehigh.

Era uma vez perto do rio Lehigh, em Allentown, os elixires espumosos eram produzidos pelo barril na agora fechada cervejaria familiar Neuwelier.

Neuweiler era a fábrica de cerveja mais elegante da região quando Louis Neuweiler - um cervejeiro alemão - e seu filho Charles a abriram nas ruas Front e Gordon em 1913, dois anos antes do fechamento da cervejaria Lieberman da cidade.

A cervejaria também era conhecida por suas cervejas Light e Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (sazonal), Porter, Stout e Hochberg Premium Plus Beer. A maioria estava disponível em 12 onças. “Steinies” ou garrafas de exportação, litros, latas ou barris.

Mas, com o gosto da cerveja mudando após a Segunda Guerra Mundial e Neuweiler endividado, a cervejaria fechou em 1968.

Em 1991, um grupo de proprietários de negócios de Allentown reviveu a marca / receitas Neuweiler e as cervejas renasceram e foram produzidas na The Lion Brewery em Wilkes-Barre.

De acordo com os relatórios da Morning Call, no início dos anos 90, engenheiros químicos analisaram velhas garrafas de Neuweiler’s Stock Ale e conseguiram cópias da fórmula original de cerveja para fazer a cerveja.

A nova cerveja manteve-se bastante próxima da fórmula original, completa com cevada de origem britânica, embora usasse lúpulo inglês Kent Golding.

Os investidores de Lehigh Valley tiveram sucesso inicial. A Dark Lager de Neuweiler, produzida em Wilkes-Barre, ganhou a medalha de bronze no Great American Beer Festival em 1992.

Em 1993, Neuweiler tinha mercados em Nova York e Pensilvânia e relatou vendas de cerca de US $ 386.000.

O renascimento da cerveja popular durou até o final da década de 1990, quando um contrato com a produtora The Lion em Wilkes-Barre acabou e os suprimentos secaram.

O empreendimento perdeu um pouco de sua faísca após a morte de Jay Barrett, gerente geral de um distribuidor de cerveja Allentown e promotor da comunidade.

Em 1998, as vendas da empresa caíram para cerca de $ 146.000 e a empresa relatou um prejuízo de $ 26.485.

Pouco depois disso, as vendas das quatro principais marcas de Neuweiler diminuíram e, eventualmente, pararam de aparecer e a produção foi encerrada.

A robusta cervejaria de seis andares de Neuweiler de tijolos vermelhos foi construída com uma grande letra de concreto "N" em sua parede frontal e uma cúpula elegante de cobre e vidro no topo. Em minhas viagens matinais para o prédio The Morning Call nas ruas Sixth e Linden - na época em que viajar diariamente e um escritório eram coisas - eu ficava maravilhado com este telhado ornamental a cada dia.

Com sua rica herança alemã, o Vale de Lehigh ostenta uma robusta tradição cervejeira. O Vale do Lehigh foi construído em aço e cerveja. Você não pode ter um sem o outro, certo?

A primeira cervejaria na área foi estabelecida pelos primeiros colonos da Morávia em Christian Springs em 1749. Outros logo seguiriam em Allentown, Bethlehem e Easton.

Do final de 1800 ao início de 1900, a fabricação de cerveja prosperou e Allentown foi o lar de várias cervejarias importantes, incluindo Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman e Horlacher.

A proibição colocou um limite apertado no negócio da cerveja em 1920, forçando as cervejarias a mudarem para “quase cervejas” e refrigerantes menos lucrativos. Alguns sobreviveram, outros não tiveram tanta sorte.

Agora, a área em torno da antiga Cervejaria Neuweiler está sendo considerada para um grande projeto de desenvolvimento ao longo do rio Lehigh. Como seria incrível restaurar as paredes em ruínas daquela antiga cervejaria e fazer com que a operação fluísse mais uma vez.

Alguns anos atrás, esforços estavam em andamento para fazer exatamente isso. Ouvi dizer que o novo grupo de desenvolvimento definido para construir neste local pode estar introduzindo uma cervejaria, choperia ou algo assim no prédio menor nos fundos. Isso seria muito legal.

Até aquele dia, podemos sonhar e relembrar os deliciosos sabores da célebre cervejaria Allentown. Nix Besser, de fato.

Craig Larimer, editor da Morning Call Sports & amp Entertainment e escritor de cerveja, pode ser contatado pelo telefone 610-778-7993 ou pelo telefone [email protected]

The Morning Call conta com o apoio de nossos assinantes para financiar nosso jornalismo enquanto continuamos a cobrir a crise do coronavírus. Se você ainda não se inscreveu, esperamos que você considerará se inscrever. Se você já é um assinante de impressão e não ativou seu acesso digital, por favor ative seu acesso digital hoje.


História da cerveja de Lehigh Valley: ‘Nix Besser!’ (Nada melhor) do que a Cervejaria Neuweiler - era uma vez em Allentown

Do início a meados dos anos 90, íamos ao Allentown's Sterling Hotel, lotávamos o palco de música ao vivo (estou olhando para você, John Bloys e The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) e saboreamos alguns Dark Lagers da Cervejaria Neuweiler.

Os sabores cremosos, torrados, torrados e biscoitos característicos permanecem na ponta da minha língua enquanto penso nessas deliciosas sensações. Memórias do paladar são coisas incríveis.

A mensagem na garrafa dizia: "Nix Besser!" (None Better) e evocou a rica e centenária história da cervejaria do Vale de Lehigh.

Era uma vez perto do rio Lehigh, em Allentown, os elixires espumosos eram produzidos pelo barril na agora fechada cervejaria familiar Neuwelier.

Neuweiler era a fábrica de cerveja mais elegante da região quando Louis Neuweiler - um cervejeiro alemão - e seu filho Charles a abriram nas ruas Front e Gordon em 1913, dois anos antes do fechamento da cervejaria Lieberman da cidade.

A cervejaria também era conhecida por suas cervejas Light e Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (sazonal), Porter, Stout e Hochberg Premium Plus Beer. A maioria estava disponível em 12 onças. “Steinies” ou garrafas de exportação, litros, latas ou barris.

Mas, com o gosto da cerveja mudando após a Segunda Guerra Mundial e Neuweiler endividado, a cervejaria fechou em 1968.

Em 1991, um grupo de proprietários de negócios de Allentown reviveu a marca / receitas Neuweiler e as cervejas renasceram e foram produzidas na The Lion Brewery em Wilkes-Barre.

De acordo com os relatórios da Morning Call, no início dos anos 90, engenheiros químicos analisaram velhas garrafas de Neuweiler’s Stock Ale e conseguiram cópias da fórmula original de cerveja para fazer a cerveja.

A nova cerveja manteve-se bastante próxima da fórmula original, completa com cevada de origem britânica, embora usasse lúpulo inglês Kent Golding.

Os investidores de Lehigh Valley tiveram sucesso inicial. A Dark Lager de Neuweiler, produzida em Wilkes-Barre, ganhou a medalha de bronze no Great American Beer Festival em 1992.

Em 1993, Neuweiler tinha mercados em Nova York e Pensilvânia e relatou vendas de cerca de US $ 386.000.

O renascimento da cerveja popular durou até o final dos anos 1990, quando um contrato com a produtora The Lion em Wilkes-Barre acabou e os suprimentos secaram.

O empreendimento perdeu um pouco de sua faísca após a morte de Jay Barrett, gerente geral de um distribuidor de cerveja Allentown e promotor da comunidade.

Em 1998, as vendas da empresa caíram para cerca de $ 146.000 e a empresa relatou um prejuízo de $ 26.485.

Pouco depois disso, as vendas das quatro principais marcas de Neuweiler diminuíram e, eventualmente, pararam de aparecer e a produção foi encerrada.

A robusta cervejaria de seis andares de Neuweiler de tijolos vermelhos foi construída com uma grande letra de concreto "N" em sua parede frontal e uma cúpula elegante de cobre e vidro no topo. Em minhas viagens matinais para o prédio The Morning Call nas ruas Sixth e Linden - na época em que viajar diariamente e um escritório eram coisas - eu ficava maravilhado com este telhado ornamental a cada dia.

Com sua rica herança alemã, o Vale de Lehigh ostenta uma robusta tradição cervejeira. O Vale do Lehigh foi construído em aço e cerveja. Você não pode ter um sem o outro, certo?

A primeira cervejaria na área foi estabelecida pelos primeiros colonos da Morávia em Christian Springs em 1749. Outros logo seguiriam em Allentown, Bethlehem e Easton.

Do final de 1800 ao início de 1900, a fabricação de cerveja prosperou e Allentown foi o lar de várias cervejarias importantes, incluindo Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman e Horlacher.

A proibição colocou um limite apertado no negócio da cerveja em 1920, forçando as cervejarias a mudarem para “quase cervejas” e refrigerantes menos lucrativos. Alguns sobreviveram, outros não tiveram tanta sorte.

Agora, a área em torno da antiga Cervejaria Neuweiler está sendo considerada para um grande projeto de desenvolvimento ao longo do rio Lehigh. Como seria incrível restaurar as paredes em ruínas daquela antiga cervejaria e fazer com que a operação fluísse mais uma vez.

Alguns anos atrás, esforços estavam em andamento para fazer exatamente isso. Ouvi dizer que o novo grupo de desenvolvimento definido para construir neste local pode estar introduzindo uma cervejaria, choperia ou algo assim no prédio menor nos fundos. Isso seria muito legal.

Até aquele dia, podemos sonhar e relembrar os deliciosos sabores da célebre cervejaria Allentown. Nix Besser, de fato.

Craig Larimer, editor da Morning Call Sports & amp Entertainment e escritor de cerveja, pode ser contatado pelo telefone 610-778-7993 ou pelo telefone [email protected]

The Morning Call conta com o apoio de nossos assinantes para financiar nosso jornalismo enquanto continuamos a cobrir a crise do coronavírus. Se você ainda não se inscreveu, esperamos que você considerará se inscrever. Se você já é um assinante de impressão e não ativou seu acesso digital, por favor ative seu acesso digital hoje.


História da cerveja de Lehigh Valley: ‘Nix Besser!’ (Nada melhor) do que a Cervejaria Neuweiler - era uma vez em Allentown

Do início a meados dos anos 90, íamos ao Allentown's Sterling Hotel, lotávamos o palco de música ao vivo (estou olhando para você, John Bloys e The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) e saboreamos alguns Dark Lagers da Cervejaria Neuweiler.

Os sabores cremosos, torrados, torrados e biscoitos característicos permanecem na ponta da minha língua enquanto penso nessas deliciosas sensações. Memórias do paladar são coisas incríveis.

A mensagem na garrafa dizia: "Nix Besser!" (None Better) e evocou a rica e centenária história da cervejaria do Vale de Lehigh.

Era uma vez perto do rio Lehigh, em Allentown, os elixires espumosos eram produzidos pelo barril na agora fechada cervejaria familiar Neuwelier.

Neuweiler era a fábrica de cerveja mais elegante da região quando Louis Neuweiler - um cervejeiro alemão - e seu filho Charles a abriram nas ruas Front e Gordon em 1913, dois anos antes do fechamento da cervejaria Lieberman da cidade.

A cervejaria também era conhecida por suas cervejas Light e Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (sazonal), Porter, Stout e Hochberg Premium Plus Beer. A maioria estava disponível em 12 onças. “Steinies” ou garrafas de exportação, litros, latas ou barris.

Mas, com o gosto da cerveja mudando após a Segunda Guerra Mundial e Neuweiler endividado, a cervejaria fechou em 1968.

Em 1991, um grupo de proprietários de negócios de Allentown reviveu a marca / receitas Neuweiler e as cervejas renasceram e foram produzidas na The Lion Brewery em Wilkes-Barre.

De acordo com os relatórios da Morning Call, no início dos anos 90, engenheiros químicos analisaram velhas garrafas de Neuweiler’s Stock Ale e conseguiram cópias da fórmula original de cerveja para fazer a cerveja.

A nova cerveja manteve-se bastante próxima da fórmula original, completa com cevada de origem britânica, embora usasse lúpulo inglês Kent Golding.

Os investidores de Lehigh Valley tiveram sucesso inicial. A Dark Lager de Neuweiler, produzida em Wilkes-Barre, ganhou a medalha de bronze no Great American Beer Festival em 1992.

Em 1993, Neuweiler tinha mercados em Nova York e Pensilvânia e relatou vendas de cerca de US $ 386.000.

O renascimento da cerveja popular durou até o final da década de 1990, quando um contrato com a produtora The Lion em Wilkes-Barre acabou e os suprimentos secaram.

O empreendimento perdeu um pouco de sua faísca após a morte de Jay Barrett, gerente geral de um distribuidor de cerveja Allentown e promotor da comunidade.

Em 1998, as vendas da empresa caíram para cerca de $ 146.000 e a empresa relatou um prejuízo de $ 26.485.

Pouco depois disso, as vendas das quatro principais marcas de Neuweiler diminuíram e, eventualmente, pararam de aparecer e a produção foi encerrada.

A robusta cervejaria de seis andares de Neuweiler de tijolo vermelho foi construída com uma grande letra de concreto "N" em sua parede frontal e uma cúpula elegante de cobre e vidro no topo. Em minhas viagens matinais para o prédio The Morning Call nas ruas Sixth e Linden - na época em que viajar diariamente e um escritório eram coisas - eu ficava maravilhado com este telhado ornamental a cada dia.

Com sua rica herança alemã, o Vale de Lehigh ostenta uma robusta tradição cervejeira. O Vale do Lehigh foi construído em aço e cerveja. Você não pode ter um sem o outro, certo?

A primeira cervejaria na área foi estabelecida pelos primeiros colonos da Morávia em Christian Springs em 1749. Outros viriam logo em Allentown, Bethlehem e Easton.

Do final de 1800 ao início de 1900, a fabricação de cerveja prosperou e Allentown foi o lar de várias cervejarias importantes, incluindo Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman e Horlacher.

A proibição colocou um limite apertado no negócio da cerveja em 1920, forçando as cervejarias a mudarem para “quase cervejas” e refrigerantes menos lucrativos. Alguns sobreviveram, outros não tiveram tanta sorte.

Agora, a área em torno da antiga Cervejaria Neuweiler está sendo considerada para um grande projeto de desenvolvimento ao longo do rio Lehigh. Como seria incrível restaurar as paredes em ruínas daquela antiga cervejaria e fazer com que a operação fluísse mais uma vez.

Alguns anos atrás, esforços estavam em andamento para fazer exatamente isso. Ouvi dizer que o novo grupo de desenvolvimento definido para construir neste local pode estar introduzindo uma cervejaria, choperia ou algo assim no prédio menor nos fundos. Isso seria muito legal.

Até aquele dia, podemos sonhar e relembrar os deliciosos sabores da célebre cervejaria Allentown. Nix Besser, de fato.

Craig Larimer, editor da Morning Call Sports & amp Entertainment e escritor de cerveja, pode ser contatado pelo telefone 610-778-7993 ou pelo telefone [email protected]

The Morning Call conta com o apoio de nossos assinantes para financiar nosso jornalismo enquanto continuamos a cobrir a crise do coronavírus. Se você ainda não se inscreveu, esperamos que você considerará se inscrever. Se você já é um assinante de impressão e não ativou seu acesso digital, por favor ative seu acesso digital hoje.


História da cerveja de Lehigh Valley: ‘Nix Besser!’ (Nada melhor) do que a Cervejaria Neuweiler - era uma vez em Allentown

Do início a meados dos anos 90, íamos ao Allentown's Sterling Hotel, lotávamos o palco de música ao vivo (estou olhando para você, John Bloys e The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) e saboreamos alguns Dark Lagers da Cervejaria Neuweiler.

Os sabores cremosos, torrados, torrados e biscoitos característicos permanecem na ponta da minha língua enquanto penso nessas deliciosas sensações. Memórias do paladar são coisas incríveis.

A mensagem na garrafa dizia: "Nix Besser!" (None Better) e evocou a rica e centenária história da cervejaria do Vale de Lehigh.

Era uma vez, perto do rio Lehigh, em Allentown, os elixires espumosos eram produzidos pelo barril na agora fechada cervejaria familiar Neuwelier.

Neuweiler era a fábrica de cerveja mais elegante da região quando Louis Neuweiler - um cervejeiro alemão - e seu filho Charles a abriram nas ruas Front e Gordon em 1913, dois anos antes do fechamento da cervejaria Lieberman da cidade.

A cervejaria também era conhecida por suas cervejas Light e Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (sazonal), Porter, Stout e Hochberg Premium Plus Beer. A maioria estava disponível em 12 onças. “Steinies” ou garrafas de exportação, litros, latas ou barris.

Mas, com o gosto da cerveja mudando após a Segunda Guerra Mundial e Neuweiler endividado, a cervejaria fechou em 1968.

Em 1991, um grupo de proprietários de negócios de Allentown reviveu a marca / receitas Neuweiler e as cervejas renasceram e foram produzidas na The Lion Brewery em Wilkes-Barre.

De acordo com os relatórios da Morning Call, no início dos anos 90, engenheiros químicos analisaram velhas garrafas de Neuweiler’s Stock Ale e conseguiram cópias da fórmula original de cerveja para fazer a cerveja.

A nova cerveja manteve-se bastante próxima da fórmula original, completa com cevada de origem britânica, embora usasse lúpulo inglês Kent Golding.

Os investidores de Lehigh Valley tiveram sucesso inicial. A Dark Lager de Neuweiler, produzida em Wilkes-Barre, ganhou a medalha de bronze no Great American Beer Festival em 1992.

Em 1993, Neuweiler tinha mercados em Nova York e Pensilvânia e relatou vendas de cerca de US $ 386.000.

O renascimento da cerveja popular durou até o final dos anos 1990, quando um contrato com a produtora The Lion em Wilkes-Barre acabou e os suprimentos secaram.

O empreendimento perdeu um pouco de sua faísca após a morte de Jay Barrett, gerente geral de um distribuidor de cerveja Allentown e promotor da comunidade.

Em 1998, as vendas da empresa caíram para cerca de $ 146.000 e a empresa relatou um prejuízo de $ 26.485.

Pouco depois disso, as vendas das quatro principais marcas de Neuweiler diminuíram e, eventualmente, pararam de aparecer e a produção foi encerrada.

A robusta cervejaria de tijolos vermelhos de seis andares de Neuweiler foi construída com uma grande letra "N" de concreto em sua parede frontal e uma cúpula elegante de cobre e vidro no topo. Em minhas viagens matinais para o prédio The Morning Call nas ruas Sixth e Linden - na época em que viajar diariamente e um escritório eram coisas - eu ficava maravilhado com este telhado ornamental a cada dia.

Com sua rica herança alemã, o Vale de Lehigh ostenta uma robusta tradição cervejeira. O Vale do Lehigh foi construído em aço e cerveja. Você não pode ter um sem o outro, certo?

A primeira cervejaria na área foi estabelecida pelos primeiros colonos da Morávia em Christian Springs em 1749. Outros viriam logo em Allentown, Bethlehem e Easton.

Do final de 1800 ao início de 1900, a fabricação de cerveja prosperou e Allentown foi o lar de várias cervejarias importantes, incluindo Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman e Horlacher.

A proibição colocou um limite apertado no negócio da cerveja em 1920, forçando as cervejarias a mudarem para “quase cervejas” e refrigerantes menos lucrativos. Alguns sobreviveram, outros não tiveram tanta sorte.

Agora, a área em torno da antiga Cervejaria Neuweiler está sendo considerada para um grande projeto de desenvolvimento ao longo do rio Lehigh. Como seria incrível restaurar as paredes em ruínas daquela antiga cervejaria e fazer com que a operação fluísse mais uma vez.

Alguns anos atrás, esforços estavam em andamento para fazer exatamente isso. Ouvi dizer que o novo grupo de desenvolvimento definido para construir neste local pode estar introduzindo uma cervejaria, choperia ou algo assim no prédio menor nos fundos. Isso seria muito legal.

Até aquele dia, podemos sonhar e relembrar os deliciosos sabores da célebre cervejaria Allentown. Nix Besser, de fato.

Craig Larimer, editor da Morning Call Sports & amp Entertainment e escritor de cerveja, pode ser contatado pelo telefone 610-778-7993 ou pelo telefone [email protected]

The Morning Call conta com o apoio de nossos assinantes para financiar nosso jornalismo enquanto continuamos a cobrir a crise do coronavírus. Se você ainda não se inscreveu, esperamos que você considerará se inscrever. Se você já é um assinante de impressão e não ativou seu acesso digital, por favor ative seu acesso digital hoje.


História da cerveja de Lehigh Valley: ‘Nix Besser!’ (Nada melhor) do que a Cervejaria Neuweiler - era uma vez em Allentown

Do início a meados dos anos 90, íamos ao Allentown's Sterling Hotel, lotávamos o palco de música ao vivo (estou olhando para você, John Bloys e The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) e saboreamos alguns Dark Lagers da Cervejaria Neuweiler.

Os sabores cremosos, torrados, torrados e biscoitos característicos permanecem na ponta da minha língua enquanto penso nessas deliciosas sensações. Memórias do paladar são coisas incríveis.

A mensagem na garrafa dizia: "Nix Besser!" (None Better) e evocou a rica e centenária história da cervejaria do Vale de Lehigh.

Era uma vez, perto do rio Lehigh, em Allentown, os elixires espumosos eram produzidos pelo barril na agora fechada cervejaria familiar Neuwelier.

Neuweiler era a fábrica de cerveja mais elegante da região quando Louis Neuweiler - um cervejeiro alemão - e seu filho Charles a abriram nas ruas Front e Gordon em 1913, dois anos antes do fechamento da cervejaria Lieberman da cidade.

A cervejaria também era conhecida por suas cervejas Light e Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (sazonal), Porter, Stout e Hochberg Premium Plus Beer. A maioria estava disponível em 12 onças. “Steinies” ou garrafas de exportação, litros, latas ou barris.

Mas, com o gosto da cerveja mudando após a Segunda Guerra Mundial e Neuweiler endividado, a cervejaria fechou em 1968.

Em 1991, um grupo de proprietários de negócios de Allentown reviveu a marca / receitas Neuweiler e as cervejas renasceram e foram produzidas na The Lion Brewery em Wilkes-Barre.

De acordo com os relatórios da Morning Call, no início dos anos 90, engenheiros químicos analisaram velhas garrafas de Neuweiler’s Stock Ale e conseguiram cópias da fórmula original de cerveja para fazer a cerveja.

A nova cerveja manteve-se bastante próxima da fórmula original, completa com cevada de origem britânica, embora usasse lúpulo inglês Kent Golding.

Os investidores de Lehigh Valley tiveram sucesso inicial. A Dark Lager de Neuweiler, produzida em Wilkes-Barre, ganhou a medalha de bronze no Great American Beer Festival em 1992.

Em 1993, Neuweiler tinha mercados em Nova York e Pensilvânia e relatou vendas de cerca de US $ 386.000.

O renascimento da cerveja popular durou até o final dos anos 1990, quando um contrato com a produtora The Lion em Wilkes-Barre acabou e os suprimentos secaram.

O empreendimento perdeu um pouco de sua faísca após a morte de Jay Barrett, gerente geral de um distribuidor de cerveja Allentown e promotor da comunidade.

Em 1998, as vendas da empresa caíram para cerca de $ 146.000 e a empresa relatou um prejuízo de $ 26.485.

Pouco depois disso, as vendas das quatro principais marcas de Neuweiler diminuíram e, eventualmente, pararam de aparecer e a produção foi encerrada.

A robusta cervejaria de seis andares de Neuweiler de tijolo vermelho foi construída com uma grande letra de concreto "N" em sua parede frontal e uma cúpula elegante de cobre e vidro no topo. Em minhas viagens matinais para o prédio The Morning Call nas ruas Sixth e Linden - na época em que viajar diariamente e um escritório eram coisas - eu ficava maravilhado com este telhado ornamental a cada dia.

Com sua rica herança alemã, o Vale de Lehigh ostenta uma robusta tradição cervejeira. O Vale do Lehigh foi construído em aço e cerveja. Você não pode ter um sem o outro, certo?

A primeira cervejaria na área foi fundada pelos primeiros colonos da Morávia em Christian Springs em 1749. Outros viriam logo em Allentown, Bethlehem e Easton.

Do final de 1800 ao início de 1900, a fabricação de cerveja prosperou e Allentown foi o lar de várias cervejarias importantes, incluindo Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman e Horlacher.

A proibição colocou um limite apertado no negócio da cerveja em 1920, forçando as cervejarias a mudarem para “quase cervejas” e refrigerantes menos lucrativos. Alguns sobreviveram, outros não tiveram tanta sorte.

Agora, a área em torno da antiga Cervejaria Neuweiler está sendo considerada para um grande projeto de desenvolvimento ao longo do rio Lehigh. Como seria incrível restaurar as paredes em ruínas daquela antiga cervejaria e fazer com que a operação fluísse mais uma vez.

Há alguns anos, esforços estavam em andamento para fazer exatamente isso. Ouvi dizer que o novo grupo de desenvolvimento definido para construir neste local pode estar introduzindo uma cervejaria, choperia ou algo assim no prédio menor nos fundos. Isso seria muito legal.

Até aquele dia, podemos sonhar e relembrar os deliciosos sabores da célebre cervejaria Allentown. Nix Besser, de fato.

Craig Larimer, editor da Morning Call Sports & amp Entertainment e escritor de cerveja, pode ser contatado pelo telefone 610-778-7993 ou pelo telefone [email protected]

The Morning Call conta com o apoio de nossos assinantes para financiar nosso jornalismo enquanto continuamos a cobrir a crise do coronavírus. Se você ainda não se inscreveu, esperamos que você considerará se inscrever. Se você já é um assinante de impressão e não ativou seu acesso digital, por favor ative seu acesso digital hoje.


História da cerveja de Lehigh Valley: ‘Nix Besser!’ (Nada melhor) do que a Cervejaria Neuweiler - era uma vez em Allentown

In the early-to-mid 90s, we’d pack into Allentown’s Sterling Hotel, crowd around the live music stage (I’m looking at you, John Bloys and The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) and enjoy a few Dark Lagers from the Neuweiler Brewery.

The signature creamy, roasted, toasted and biscuity flavors remain on the tip of my tongue as I think back on those delicious sensations. Taste bud memories are amazing things.

The message on the bottle read, “Nix Besser!” (None Better) and evoked the Lehigh Valley’s rich, centuries-old brewing history.

Once upon a time near the Lehigh River in Allentown, the sudsy elixirs were churned out by the barrel at the now-shuttered family-owned Neuwelier Brewery.

Neuweiler was the region’s most stylish beer-making factory when Louis Neuweiler — a German brewer — and his son Charles opened it at Front and Gordon streets in 1913, two years before the city’s aging Lieberman Brewery closed.

The brewery was also known for its Light and Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (seasonal), Porter, Stout and Hochberg Premium Plus Beer. Most were available in the 12 oz. “Steinies” or export bottles, quarts, cans or kegs.

But, with beer tastes changing after World War II and Neuweiler in debt, the brewery closed in 1968.

In 1991, a group of Allentown business owners revived the Neuweiler brand/recipes and the beers were reborn and brewed at The Lion Brewery in Wilkes-Barre.

According to Morning Call reports, in the early ‘90s, chemical engineers analyzed old bottles of Neuweiler’s Stock Ale and got copies of the original brewing formula to make the beer.

The new ale kept fairly close to the original formula complete with British-bred barley, although it used English Kent Golding hops.

The Lehigh Valley investors enjoyed initial success. Neuweiler’s Dark Lager, produced in Wilkes-Barre, earned a bronze medal at the Great American Beer Festival in 1992.

By 1993, Neuweiler had markets in New York and Pennsylvania and reported sales of about $386,000.

The popular beer’s rebirth lasted until the late 1990s, when a contract with The Lion production company in Wilkes-Barre ran out and supplies went dry.

The venture lost some of its spark after the death of Jay Barrett, a general manager for an Allentown beer distributor and a community booster.

By 1998, the company’s sales had dropped to about $146,000 and the company reported a loss of $26,485.

Shortly after this, sales of Neuweiler’s top four brands slowed and eventually stopped appearing and production ended.

Neuweiler’s sturdy six-story brewhouse of red brick was built with a big concrete letter “N” on its front wall and an elegant cupola of copper and glass at the top. On my morning commutes to The Morning Call building at Sixth and Linden streets — back when a commute and an office were things — I’d marvel at this ornamental roof each day.

With its rich German heritage, the Lehigh Valley boasts a robust brewing tradition. The Lehigh Valley was built on steel and beer. You can’t have one without the other, right?

The very first brewery in the area was established by early Moravian settlers at Christian Springs way back in 1749. Others would soon follow in Allentown, Bethlehem and Easton.

By the late 1800s to early 1900s, beer-making thrived and Allentown was home to several major breweries including Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman and Horlacher.

Prohibition put a tight cap on the beer biz in 1920, forcing breweries to switch to less profitable “near beers” and sodas. Some survived, some were not as fortunate.

Now the acreage surrounding the former Neuweiler Brewery is under consideration for a major development project along the Lehigh River. How incredible it would be to restore the crumbling walls at that old brewery and get the operation flowing once again.

A few years ago, efforts were underway to do just that. I’ve heard that the new development group set on building on this location may be introducing a brewpub, taproom or somesuch in the smaller building out back. That would be pretty cool.

Until that day, we can dream and recall the delicious flavors of the storied Allentown brewery. Nix Besser, indeed.

Morning Call Sports & Entertainment Editor and Beer Writer Craig Larimer can be reached at 610-778-7993 or at [email protected]

The Morning Call relies on the support of our subscribers to fund our journalism as we continue to cover the coronavirus crisis. If you’re not already signed up, we hope you will consider subscribing. If you’re already a print subscriber and you haven’t activated your digital access, please activate your digital access today.


Lehigh Valley Beer History: ‘Nix Besser!’ (None Better) than Neuweiler Brewery — once upon a time in Allentown

In the early-to-mid 90s, we’d pack into Allentown’s Sterling Hotel, crowd around the live music stage (I’m looking at you, John Bloys and The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) and enjoy a few Dark Lagers from the Neuweiler Brewery.

The signature creamy, roasted, toasted and biscuity flavors remain on the tip of my tongue as I think back on those delicious sensations. Taste bud memories are amazing things.

The message on the bottle read, “Nix Besser!” (None Better) and evoked the Lehigh Valley’s rich, centuries-old brewing history.

Once upon a time near the Lehigh River in Allentown, the sudsy elixirs were churned out by the barrel at the now-shuttered family-owned Neuwelier Brewery.

Neuweiler was the region’s most stylish beer-making factory when Louis Neuweiler — a German brewer — and his son Charles opened it at Front and Gordon streets in 1913, two years before the city’s aging Lieberman Brewery closed.

The brewery was also known for its Light and Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (seasonal), Porter, Stout and Hochberg Premium Plus Beer. Most were available in the 12 oz. “Steinies” or export bottles, quarts, cans or kegs.

But, with beer tastes changing after World War II and Neuweiler in debt, the brewery closed in 1968.

In 1991, a group of Allentown business owners revived the Neuweiler brand/recipes and the beers were reborn and brewed at The Lion Brewery in Wilkes-Barre.

According to Morning Call reports, in the early ‘90s, chemical engineers analyzed old bottles of Neuweiler’s Stock Ale and got copies of the original brewing formula to make the beer.

The new ale kept fairly close to the original formula complete with British-bred barley, although it used English Kent Golding hops.

The Lehigh Valley investors enjoyed initial success. Neuweiler’s Dark Lager, produced in Wilkes-Barre, earned a bronze medal at the Great American Beer Festival in 1992.

By 1993, Neuweiler had markets in New York and Pennsylvania and reported sales of about $386,000.

The popular beer’s rebirth lasted until the late 1990s, when a contract with The Lion production company in Wilkes-Barre ran out and supplies went dry.

The venture lost some of its spark after the death of Jay Barrett, a general manager for an Allentown beer distributor and a community booster.

By 1998, the company’s sales had dropped to about $146,000 and the company reported a loss of $26,485.

Shortly after this, sales of Neuweiler’s top four brands slowed and eventually stopped appearing and production ended.

Neuweiler’s sturdy six-story brewhouse of red brick was built with a big concrete letter “N” on its front wall and an elegant cupola of copper and glass at the top. On my morning commutes to The Morning Call building at Sixth and Linden streets — back when a commute and an office were things — I’d marvel at this ornamental roof each day.

With its rich German heritage, the Lehigh Valley boasts a robust brewing tradition. The Lehigh Valley was built on steel and beer. You can’t have one without the other, right?

The very first brewery in the area was established by early Moravian settlers at Christian Springs way back in 1749. Others would soon follow in Allentown, Bethlehem and Easton.

By the late 1800s to early 1900s, beer-making thrived and Allentown was home to several major breweries including Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman and Horlacher.

Prohibition put a tight cap on the beer biz in 1920, forcing breweries to switch to less profitable “near beers” and sodas. Some survived, some were not as fortunate.

Now the acreage surrounding the former Neuweiler Brewery is under consideration for a major development project along the Lehigh River. How incredible it would be to restore the crumbling walls at that old brewery and get the operation flowing once again.

A few years ago, efforts were underway to do just that. I’ve heard that the new development group set on building on this location may be introducing a brewpub, taproom or somesuch in the smaller building out back. That would be pretty cool.

Until that day, we can dream and recall the delicious flavors of the storied Allentown brewery. Nix Besser, indeed.

Morning Call Sports & Entertainment Editor and Beer Writer Craig Larimer can be reached at 610-778-7993 or at [email protected]

The Morning Call relies on the support of our subscribers to fund our journalism as we continue to cover the coronavirus crisis. If you’re not already signed up, we hope you will consider subscribing. If you’re already a print subscriber and you haven’t activated your digital access, please activate your digital access today.


Lehigh Valley Beer History: ‘Nix Besser!’ (None Better) than Neuweiler Brewery — once upon a time in Allentown

In the early-to-mid 90s, we’d pack into Allentown’s Sterling Hotel, crowd around the live music stage (I’m looking at you, John Bloys and The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) and enjoy a few Dark Lagers from the Neuweiler Brewery.

The signature creamy, roasted, toasted and biscuity flavors remain on the tip of my tongue as I think back on those delicious sensations. Taste bud memories are amazing things.

The message on the bottle read, “Nix Besser!” (None Better) and evoked the Lehigh Valley’s rich, centuries-old brewing history.

Once upon a time near the Lehigh River in Allentown, the sudsy elixirs were churned out by the barrel at the now-shuttered family-owned Neuwelier Brewery.

Neuweiler was the region’s most stylish beer-making factory when Louis Neuweiler — a German brewer — and his son Charles opened it at Front and Gordon streets in 1913, two years before the city’s aging Lieberman Brewery closed.

The brewery was also known for its Light and Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (seasonal), Porter, Stout and Hochberg Premium Plus Beer. Most were available in the 12 oz. “Steinies” or export bottles, quarts, cans or kegs.

But, with beer tastes changing after World War II and Neuweiler in debt, the brewery closed in 1968.

In 1991, a group of Allentown business owners revived the Neuweiler brand/recipes and the beers were reborn and brewed at The Lion Brewery in Wilkes-Barre.

According to Morning Call reports, in the early ‘90s, chemical engineers analyzed old bottles of Neuweiler’s Stock Ale and got copies of the original brewing formula to make the beer.

The new ale kept fairly close to the original formula complete with British-bred barley, although it used English Kent Golding hops.

The Lehigh Valley investors enjoyed initial success. Neuweiler’s Dark Lager, produced in Wilkes-Barre, earned a bronze medal at the Great American Beer Festival in 1992.

By 1993, Neuweiler had markets in New York and Pennsylvania and reported sales of about $386,000.

The popular beer’s rebirth lasted until the late 1990s, when a contract with The Lion production company in Wilkes-Barre ran out and supplies went dry.

The venture lost some of its spark after the death of Jay Barrett, a general manager for an Allentown beer distributor and a community booster.

By 1998, the company’s sales had dropped to about $146,000 and the company reported a loss of $26,485.

Shortly after this, sales of Neuweiler’s top four brands slowed and eventually stopped appearing and production ended.

Neuweiler’s sturdy six-story brewhouse of red brick was built with a big concrete letter “N” on its front wall and an elegant cupola of copper and glass at the top. On my morning commutes to The Morning Call building at Sixth and Linden streets — back when a commute and an office were things — I’d marvel at this ornamental roof each day.

With its rich German heritage, the Lehigh Valley boasts a robust brewing tradition. The Lehigh Valley was built on steel and beer. You can’t have one without the other, right?

The very first brewery in the area was established by early Moravian settlers at Christian Springs way back in 1749. Others would soon follow in Allentown, Bethlehem and Easton.

By the late 1800s to early 1900s, beer-making thrived and Allentown was home to several major breweries including Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman and Horlacher.

Prohibition put a tight cap on the beer biz in 1920, forcing breweries to switch to less profitable “near beers” and sodas. Some survived, some were not as fortunate.

Now the acreage surrounding the former Neuweiler Brewery is under consideration for a major development project along the Lehigh River. How incredible it would be to restore the crumbling walls at that old brewery and get the operation flowing once again.

A few years ago, efforts were underway to do just that. I’ve heard that the new development group set on building on this location may be introducing a brewpub, taproom or somesuch in the smaller building out back. That would be pretty cool.

Until that day, we can dream and recall the delicious flavors of the storied Allentown brewery. Nix Besser, indeed.

Morning Call Sports & Entertainment Editor and Beer Writer Craig Larimer can be reached at 610-778-7993 or at [email protected]

The Morning Call relies on the support of our subscribers to fund our journalism as we continue to cover the coronavirus crisis. If you’re not already signed up, we hope you will consider subscribing. If you’re already a print subscriber and you haven’t activated your digital access, please activate your digital access today.


Lehigh Valley Beer History: ‘Nix Besser!’ (None Better) than Neuweiler Brewery — once upon a time in Allentown

In the early-to-mid 90s, we’d pack into Allentown’s Sterling Hotel, crowd around the live music stage (I’m looking at you, John Bloys and The Boogie Stew, Mike Dugan, Zen For Primates) and enjoy a few Dark Lagers from the Neuweiler Brewery.

The signature creamy, roasted, toasted and biscuity flavors remain on the tip of my tongue as I think back on those delicious sensations. Taste bud memories are amazing things.

The message on the bottle read, “Nix Besser!” (None Better) and evoked the Lehigh Valley’s rich, centuries-old brewing history.

Once upon a time near the Lehigh River in Allentown, the sudsy elixirs were churned out by the barrel at the now-shuttered family-owned Neuwelier Brewery.

Neuweiler was the region’s most stylish beer-making factory when Louis Neuweiler — a German brewer — and his son Charles opened it at Front and Gordon streets in 1913, two years before the city’s aging Lieberman Brewery closed.

The brewery was also known for its Light and Dark Lagers, Stock Ale, Cream Ale, Premium Ale, Bock (seasonal), Porter, Stout and Hochberg Premium Plus Beer. Most were available in the 12 oz. “Steinies” or export bottles, quarts, cans or kegs.

But, with beer tastes changing after World War II and Neuweiler in debt, the brewery closed in 1968.

In 1991, a group of Allentown business owners revived the Neuweiler brand/recipes and the beers were reborn and brewed at The Lion Brewery in Wilkes-Barre.

According to Morning Call reports, in the early ‘90s, chemical engineers analyzed old bottles of Neuweiler’s Stock Ale and got copies of the original brewing formula to make the beer.

The new ale kept fairly close to the original formula complete with British-bred barley, although it used English Kent Golding hops.

The Lehigh Valley investors enjoyed initial success. Neuweiler’s Dark Lager, produced in Wilkes-Barre, earned a bronze medal at the Great American Beer Festival in 1992.

By 1993, Neuweiler had markets in New York and Pennsylvania and reported sales of about $386,000.

The popular beer’s rebirth lasted until the late 1990s, when a contract with The Lion production company in Wilkes-Barre ran out and supplies went dry.

The venture lost some of its spark after the death of Jay Barrett, a general manager for an Allentown beer distributor and a community booster.

By 1998, the company’s sales had dropped to about $146,000 and the company reported a loss of $26,485.

Shortly after this, sales of Neuweiler’s top four brands slowed and eventually stopped appearing and production ended.

Neuweiler’s sturdy six-story brewhouse of red brick was built with a big concrete letter “N” on its front wall and an elegant cupola of copper and glass at the top. On my morning commutes to The Morning Call building at Sixth and Linden streets — back when a commute and an office were things — I’d marvel at this ornamental roof each day.

With its rich German heritage, the Lehigh Valley boasts a robust brewing tradition. The Lehigh Valley was built on steel and beer. You can’t have one without the other, right?

The very first brewery in the area was established by early Moravian settlers at Christian Springs way back in 1749. Others would soon follow in Allentown, Bethlehem and Easton.

By the late 1800s to early 1900s, beer-making thrived and Allentown was home to several major breweries including Neuweiler, Germania, Daeufer-Lieberman and Horlacher.

Prohibition put a tight cap on the beer biz in 1920, forcing breweries to switch to less profitable “near beers” and sodas. Some survived, some were not as fortunate.

Now the acreage surrounding the former Neuweiler Brewery is under consideration for a major development project along the Lehigh River. How incredible it would be to restore the crumbling walls at that old brewery and get the operation flowing once again.

A few years ago, efforts were underway to do just that. I’ve heard that the new development group set on building on this location may be introducing a brewpub, taproom or somesuch in the smaller building out back. That would be pretty cool.

Until that day, we can dream and recall the delicious flavors of the storied Allentown brewery. Nix Besser, indeed.

Morning Call Sports & Entertainment Editor and Beer Writer Craig Larimer can be reached at 610-778-7993 or at [email protected]

The Morning Call relies on the support of our subscribers to fund our journalism as we continue to cover the coronavirus crisis. If you’re not already signed up, we hope you will consider subscribing. If you’re already a print subscriber and you haven’t activated your digital access, please activate your digital access today.


Assista o vídeo: Rzemieślnicze piwa 0,0%? Sprawdzamy Coast Beer Co (Dezembro 2021).